pilsen ou lager

Pilsen ou Lager? Entenda qual a diferença na produção!

SEGUIR NO INSTAGRAMPowered by Rock Convert

Antes de mais nada, calma! Se você é um cervejeiro experiente e sabe a diferença de pilsen e lager (como nós), tudo bem. Mas se você é uma das pessoas que tem esse tipo de dúvidas, a publicação é para explicar exatamente isso e colocar os pingos nos is.

Não há dúvidas de que alguns dos temas mais explorados e controversos do mundo da cerveja são a classificação e nomenclatura das ramificações, que foram se formando ao longo dos anos. No Brasil, observamos que há um mal entendido histórico na diferenciação entre as cervejas do tipo Pilsen e Lager.

Isso acontece, pois as grandes empresas do ramo criaram uma confusão ao rotularem seus produtos de massa como “Pilsen” e isso acabou causando uma adesão popular.

Como já falamos em outro post, acredite se quiser, as cervejas populares de todas as grandes marcas brasileiras não são do tipo Pilsen! Como veremos a seguir, a tradicional cervejinha de fim de semana do brasileiro é, tecnicamente, a American Lager ou até uma American Light Lager.

Para desfazer esse e outros mitos relacionados às Lagers, vamos abordar o tema com um pouco mais de profundidade. Confira!

Quantos tipos de cerveja existem?

De forma simplificada, poderíamos dizer que existem, basicamente, três famílias de cervejas: as Ales, as Lagers e as cervejas de fermentação espontânea.

As Lagers são também chamadas cervejas de fermentação de fundo, ou de baixa fermentação. São as cervejas mais comercializadas em todo o mundo e se destacam por serem mais leves e um pouco menos alcoólicas.

As Ales são cervejas cuja fermentação ocorre na parte superior, próximo à superfície. Possuem sabor e aroma bastante característicos, sendo mais encorpados e complexos. Por fim, as cervejas de fermentação espontânea, bastante raras, são elaboradas a partir da fermentação de leveduras selvagens, e até mesmo de outros micro-organismos, como bactérias, por exemplo.

Pilsen ou Lager?

Antes de mais nada, é preciso esclarecer que “Pilsen” é uma espécie do gênero “Lager”.

Sendo assim, toda cerveja Pilsen é, necessariamente, Lager, mas nem toda Lager é Pilsen — algo que confunde muito as pessoas. Outra espécie de cerveja Lager, que veremos mais adiante, são as chamadas American Lagers. Poderíamos dizer, portanto, apesar de todas as diferenças, as duas são irmãs.

Um pouco mais sobre as Lagers

Historicamente, as Lagers se popularizaram apenas no final do século XIX, com o advento dos refrigeradores. As leveduras atuam no fundo do tanque, necessitando de temperaturas mais baixas e levam, aproximadamente, oito semanas para concluir o processo de fermentação.

O nome Lager vem do alemão, que significa “guardada”, em referência ao período em que a bebida fica em processo de maturação.

A verdadeira Pilsen

As cervejas do tipo “Pilsen” são originárias da cidade de Plzeň na região da Bohemia, onde hoje fica a República Tcheca.

Possuem de 25 a 45 unidades internacionais de amargor ― ao contrário das American Lagers, que não passam de 15 ― e seguem a lei da pureza, vigente na Alemanha (reinheitsgebot), levando apenas quatro ingredientes: levedura, água, malte de cevada e lúpulo.

A American Lager e o mercado brasileiro

O milho é largamente cultivado pelos norte-americanos, fazendo parte da história e da cultura dos Estados Unidos. Assim como aconteceu com o uísque, que passou a ser fabricado a partir do milho em terras ianques, levando o nome de Bourbon, a cerveja também não ficou para trás.

No entanto, a inclusão do milho e de outros cereais não maltados na fórmula original da cerveja não foi exatamente uma questão de estilo ou de sabor. É que essa mistura, somada a aditivos que aceleram a fermentação da cerveja, faz com que os custos de produção diminuam consideravelmente.

É por isso que a American Lager dominou não apenas o mercado brasileiro, mas também as prateleiras de todo o mundo. Especialistas alertam, no entanto, que a inclusão dos adjuntos pode comprometer a qualidade da cerveja.

No Brasil, a maioria das cervejas comerciais faz uso dos cereais não maltados (ou seja, milho & cia) em sua composição, como, por exemplo, Skol, Brahma, Antartica, Bohemia, Stella Artois e Budweiser. Algumas poucas, como Bavaria Premium, Serra Malte e Heineken são puro malte.

E aí, gostou do artigo? Assine nossa newsletter e receba as atualizações do Homini Lúpulo diretamente na sua caixa de entrada!

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

2 Comentários

    Fale o que você pensa

    O seu endereço de e-mail não será publicado.