Notícias Universo da Cerveja

Nanocervejaria: grande valor para cultura cervejeira no Brasil, parte final

Escrito por Carlos Lara
SEGUIR NO INSTAGRAMPowered by Rock Convert

Leonardo Sewald é fanático por lúpulos

Depois apresentar diversos cervejeiros que sonham em crescer, agora vamos apresentar a nanocervejaria que se tornou uma microcervejaria, a Seasons. Esta é a parte final de reportagens sobre nanocervejarias (confira a parte 1, 2 e 3). Cervejeiro e sócio da Seasons, Leonardo Sewald (veja entrevista em vídeo com ele) revela que continua sendo homebrewer, utilizando ainda seu equipamento de menor escala para experimentar. Para ele, vender suas cervejas antes de abrir a microcervejaria deu uma experiência importante sobre como era o mercado, se preocupando com logística, padrão de qualidade e concistência. “Quando atingi um determinado nível de experiência e minhas cervejas caseiras estavam com um bom padrão de qualidade, passei a vende-las em alguns bares em Porto Alegre que davam abertura para tal prática”, conta Leonardo.

 

Apesar de ter vendido cerveja caseira no seu início, ele revela que é uma prática que requer cuidados. Para ele, é preciso ter bastante experiência e certeza absoluta da qualidade do produto antes de pensar em vender. “Há muitos casos de homebrewers iniciantes que já começam a vender suas primeiras levas, que às vezes estão com problemas que, por não terem experiência no assunto, acabam deixando passar”, afirma. Da mesma forma, o bar deve ter o cuidado para garantir a qualidade para seu cliente, provando as cervejas antes de servir. Na Seasons, todos os cervejeiros contratados foram e continuam sendo homebrewers. No site da Seasons estão disponíveis as receitas, para que os cervejeiros caseiros possam criar clones das levas produzidas por lá.

 

A Cervejaria Seasons fica no bairo Anchieta, em Porto Alegre/RS

Satisfeito com o resultado obtido nas suas levas caseiras, Leonardo Sewald foi buscar uma especialização no Siebel Institute of Technology, nos EUA. Transformar o sonho em realidade, porém, não foi nada fácil. A Seasons levou quase um ano para ser legalizada, entre registros municipais, alvará sanitário e registro dos produtos no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o MAPA. Leonado recomenda que se contrate um profissional para cuidar disto. “A dica é conversar bastante com um contador experiente sobre como abrir uma cervejaria. É importante que o contador entenda do assunto e saiba como obter os registros, pois muito do trabalho é feito através do contador. Além disso, ele deve saber como taxar uma empresa do ramo, pois a cobrança de impostos em cima de uma cervejaria costuma ser bastante severa, e se o contador não souber como lidar com isso, muito dinheiro pode ir para os bolsos do governo ao invés do bolso do empresário”.

 

Parece complicado? Bem, fácil não é, mas isso não desanimou o empresário gaúcho. Com um plano de negócios bem montado, Leo foi buscar experiência com outros donos de microcervejarias. “Abrir uma empresa no ramo pode ser difícil, mas não é impossível. Tanto que eu, que era um completo analfabeto em contabilidade, consegui. Se o sonho é esse, vá atrás e não desista”, encoraja ele.

 

Hoje, a Seasons colhe os frutos deste passo dado. Com o sucesso de suas cervejas, inspiradas na Escola Americanas, eles já passarão pela primeira expansão no final deste ano e projetam um crescimento anual de 40%. “Com uma empresa legalizada, posso atingir um mercado maior e com mais confiança. Com uma empresa eu passo credibilidade, consistência e qualidade. Com uma empresa, também crio uma identidade. A Seasons já tem um rosto, um jeito de ser e uma imagem a ser mantida. Na prática, a maioria dos potenciais clientes (alguns restaurantes, lojas e supermercados) não aceitam cervejas vindas de homebrewers. Logo, a legalização se faz necessária”, explica. O salto é o objetivo de todos os que participaram desta matéria, cada um com seus objetivos e tamanhos desejados. Embora a legalização ainda seja demorada e complexa no Brasil, e os impostos altos, somente assim o negócio pode crescer e ser sustentável, tranformando cervejeiros caseiros de destaque em empresários de sucesso.

aprender a fazer cerveja em casaPowered by Rock Convert

Sobre o Autor

Carlos Lara

Marketeiro e Sommelier de Cerveja. Criei a minha paixão pela cerveja há um tempo, principalmente vendo jogos de futebol e hoje escrevo conteúdos sobre diversos assuntos nas horas vagas.

1 Comentário

Comentar