Mercado cervejeiro: o lado financeiro do sommelier

Mercado cervejeiro: o lado financeiro do sommelier

Coleção de livros na Amazon

Depois de mostrar o perfil dos novos sommeliers de cervejas e mestre-cervejeiros, chegou o momento de apresentar a realidade do mercado, e como estes profissiais estão se colocando. Profissão extremanente nova, os primeiros sommeliers de cervejas se formaram no Brasil no final de 2010. Constantes turmas se formam, abastecendo bares, importadoras, ditribuidoras e até mesmo cervejarias. Para se tornar um profissional, o primeiro passo é estar preparado para trabalhar enquanto os outros se divertem e se adaptar ao inconstante horário de trabalho.

 

Edu Passarelli: salário de sommellier em restaurantes fica entre 2 e 2,5 mil reais

O empresário e sommelier de cervejas Edu Passarelli traça o perfil profissional de quem quer entrar no segmento. Para ele, o mercado ainda é muito jovem deve crescer. “Trabalhar com cerveja exige qualificação, determinação, comprometimento e seriedade”. Quando Edu entrou neste mercado, dizer que ia fazer palestras sobre cervejas era quase como piada. Esta realidade muda mais a cada dia com o aquecimento do mercado e o melhor momento econômico do país. A professora do curso de sommelier de cervejas da ABS, Kathia Zanatta, destaca que é importante o profissional entender que ninguém sai do curso como o melhor. O aprofundamento futuro é que fará o profissional se destacar. “É bastante visível o crescimento deste mercado, não só em números mas em disponibilidade e diversidade de produtos nas prateleiras dos empórios, supermercados e lojas especializadas. Com isso, observa-se também, é claro, um aumento da necessidade de profissionais da área para a produção, venda técnica e serviço dos produtos, os quais complementarão e darão estrutura para um crescimento ainda mais promissor do mercado”, destaca Kathia.

 

Edu, que comanda a montagem da filial do Aconchego Carioca em São Paulo, revela o que o sommelier deve esperar em termos financeiros no início da carreira. “Palestrar costuma ser bem mais rentável do que o trabalho de sommelier em si. Consultorias também trazem bom retorno. Porém, ambos exigem bem mais experiência, e no primeiro caso, além de conhecimento, também a habilidade de se expressar em público. Creio que hoje um sommelier em um restaurante ganhe entre 2 e 2,5 mil”.

 

Kathia Zanatta aposta no crescimento e valorização da profissão de sommelier de cervejas

Guilherme Balbin hoje trabalha no Cerveja Gourmet realizando eventos e palestras, como um difusor da cultura cervejeira. Depois de largar o trabalho em uma empresa de engenharia, Guilherme aponta que o ganho financeiro no trabalho anterior era maior, porém a satisfação pessoal pesa em se manter no mercado de cervejas. “Os dois salários variavam bastante, pois no trabalho antigo eu fazia muitas horas extras, e no da Cerveja Gourmet eu ganho, além do salário normal, por comissão de eventos. Ou seja, se eu fizer muitos eventos num mês, dá uma grana legal, mas no geral, o trabalho antigo ainda era melhor em termos financeiros”, revela.

 

Fazendo o curso de sommelier de cervejas, Gustavo Renha quer criar um diferencial na sua carreira. Já atuava no setor de bares e restaurantes e agora consegue uma posição melhor por sua especialização. “Como a maioria dos profissionais de vendas, geralmente, você trabalha em cima de metas e resultados. Quando você faz o que gosta, fica mais fácil. A remuneração é
compatível com outras áreas sim, podendo ser até superior, mas, obviamente, se você não acompanhar o ritmo do mercado vai ficar pra trás. No começo, nada é fácil, mas com o tempo você começa a criar um perfil de trabalho, aprende a treinar sua equipe, com foco no cliente, e a coisa vai acontecendo”.

 

Para quem pensa em entrar neste setor, Edu Passarelli faz um alerta. “O trabalho com cerveja é uma profissão como outra qualquer. E além de tudo tem um agravante, que é o consumo de álcool. Se o profissional não o fizer com consciência e sabendo que a cerveja é o trabalho dele e não mais o hobby, pode ter problemas sérios de saúde”.  Experimentar variadas cervejas, paladar apurado e conhecer as tendências do mercado faz parte da profissão. Gustavo Renha aconselha a todos seguirem sua paixão. “Estude, escute, prove muitas cervejas boas, viaje para obter mais conhecimentos, tente criar um diferencial na sua forma de trabalho, e, principalmente, goste do que está fazendo, porque se você entrar nesse caminho só por grana, você vai estar na profissão errada”.

 

No próximo capítulo será abordado o mercado para o mestre-cervejeiro, e mais a frente empreendedorismo. Até lá.

Biblioteca de livros (1)

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

1 Comentário

    Fale o que você pensa

    O seu endereço de e-mail não será publicado.