Mercado cervejeiro: empreendedorismo

SEGUIR NO INSTAGRAMPowered by Rock Convert

Converse com qualquer pessoa sobre ligada a cervejas artesanais no Brasil e verá: todos apostam no crescimento do mercado cervejeiro por aqui. Além de novos postos de trabalho e cervejarias surgindo, há espaço para outros negócios ligados à cerveja. Empreendedores apostam em lojas online, eventos, distribuidoras, importadoras, clubes de compra de cervejas. E outras novidades sugem a todo tempo.

 

Rafael Borges: clube de cerveja já tem 2.400 associados

Apaixonado por cervejas mais intensas desde bem novo, o publicitário gaúcho Rafael Borges criou, com o amigo de infância Pedro Meneghetti, o Have a Nice Beer, clube de compra de cervejas, em que o associado recebe em sua casa os rótulos do mês e uma revista. Este negócio vem crescendo, e o NHB, criado oficialmente em maio de 2011, já não está mais sozinho neste nicho. O clube começou com 118 associados e já passa dos 2.400 em todo o Brasil. “Demoramos 8 meses desde a ideia até a abertura da empresa, pesquisando o mercado, fazendo o plano de negócios e o plano financeiro e captando investidores, aponta Rafael Borges.

 

O sucesso do HNB foi além do que as projeções do plano de negócios executado pela dupla apontavam. Com maior quantidade de associados em Porto Alegre e São Paulo, o clube já aposta em entrada mais forte em outras cidades brasileiras. “A paixão por cerveja é de longa data, assim como a vontade de empreender. Eu me interesso bastante pelos aspectos mercadológicos de todos os assuntos e os da cerveja não seria diferente. Ao analisarmos os números que se apresentavam, o Pedro e eu vimos uma excelente oportunidade de negócio. O mercado de cervejas super premium apresenta números de crescimento interessantíssimos para justificar investimentos”, afirma Rafael. Ele já consegue um resultado financeiro com a empresa, e afirma que sua meta é ter um padrão de vida estável, mas sem estravagâncias. Ele evita comparar com seu antigo trabalho, o de publicitário. ” Gosto do trabalho árduo e sério. Acredito nisso para alcançar o resultado financeiro que almejas, independente do mercado que estás”, completa.

 

Idéia semelhante teve o carioca Rodrigo Addor. Ano passado, ao analisar cases de clubes de entrega de produtos via internet, decidiu fazer o mesmo com cervejas. Após muita pesquisa e trabalho, o Prova Essa está no seu primeiro mês de funcionamento. Gravamos a entrevista em vídeo com Rodrigo, que aponta seus objetivos, medos e a mesma vontade de Rafael: empreender.

 

De São Paulo vem mais um caso de investimento em novos negócios. Alan Gregor é administrador e cervejeiro caseiro e, ao invés de buscar de cara montar sua cervejaria, seu objetivo final, apostou primeiro em outras lacunas do mercado. “Começei a fazer cerveja caseira em 2005 e em 2009 larguei tudo e fui para o SENAI fazer o curso de Técnico Cervejeiro. Fui o primeiro cervejeiro caseiro a fazer o curso. E desde de o ano passado estou com com a loja de insumos, o Beer Experience, a Cervejaria Urbana (nanocervejaria) e os Cursos Brewing Pride”. Sucesso em 2011, o Beer Experience é o maior festival de cervejas artesanais de São Paulo, com mais de 100 rótulos disponíveis e diversas outras atrações. Porém, não foi fácil convencer as cervejarias a participar de um novo festival, bem como conseguir o capital para realizar o primeiro evento. Com o resultado positivo obtido, para 2012 Alan já planeja mais três festivais na capital paulista.

 

Alan Gregor: investimento em eventos e cerveja caseira

Além dos eventos, ele se dedica a fomentar a cultura cervejeira. Para isso, dá cursos e criou a Beer Lovers, loja de insumos para cerveja caseira. Alan viu na dificuldade de encontrar insumos e equipamentos no Brasil uma oportunidade. ” O mercado de cerveja caseira está crescendo exponencialmente. O brasileiro com melhor condição financeira está descobrindo uma cerveja diferenciada. Muitas vezes esse cara com mais dinheiro só experimenta a cerveja porque foi um amigo, ou amigo do amigo, que fez, pois se estivesse no supermercado ele nunca experimentaria”, explica Alan.

 

Sobre a parte financeira, ele explica que há um dilema entre fazer o que não gosta e ser muito bem remunerado ou fazer o que gosta de verdade e não ter tanto retorno monetário. Alan se coloca na segunda parte da equação. ” Tudo que fazemos é extremamente trabalhoso, somos apaixonados por cerveja. Porém ainda não tivemos o retorno financeiro esperado. A longo prazo esta decisão se pagará, mas no curto prazo com certeza seria mais rentável continuar em uma multinacional”, afirma Alan, que trabalhou por cinco anos na Cartepillar.

 

Rafael Borges destaca que é preciso primar pela excelência em qualquer que seja o negócio, mais do que ter paixão pelo que faz. No Have a Nice Beer ele busca sempre a máxima satisfação dos associados. É preciso, também, ter um bom plano de negócios e contar com o apoio de todos os envolvidos na decisão de mudar de ramo. “Por mais óbvio que isso possa parecer, ao conversar com várias pessoas que me contam da sua vontade de largar tudo e viver de cerveja, a esmagadora maioria restringe sua pesquisa a rótulos de cerveja, impressões sobre eles e alguns veículos de informação do mundo cervejeiro e nem sabe o que é um plano de negócios. Assim, a possibilidade de dar errado é muito maior”, aconselha Rafael. Alan Gregor faz coro, e também aponta o apoio familiar e o estudo do mercado como pontos chave para o empreendedor. “O conselho seria pensar bem e planejar a mudança, porque eu não tenho filho nem esposa, então a decisão impactou somente sobre mim. Outro ponto que as pessoas não pensam antes de tomar a decisão é se qualificar e estudar para ter uma boa noção do mercado e do produto”.

 

 

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

3 Comentários

    Fala Bernardo

    O último link está quebrado (está com um %20 no final). Além disso, ia sugerir que você coloca-se no links um target=_blank, assim o link iria abrir em uma nova página, mantendo o leitor na sua página, lendo seu texto.

      Oi Claudio. Está arrumado agora, obrigado pelas dicas.

      abs

    nossa, estes empreendimentos do Alan deveriam ser mais bem divulgados. só conhecia a primeira edição do beer experience.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.