lúpulo brasileiro

Entenda o cultivo e venda de lúpulo no Brasil

SEGUIR NO INSTAGRAMPowered by Rock Convert

O lúpulo é um dos quatro elementos básicos para produzir cerveja. Quando adicionado ao malte, água e leveduras, ele dá corpo, aroma e sabor à bebida. Por este motivo, todo produtor de cervejas é extremamente dependente dessa beleza de matéria-prima.

Atualmente, a única forma de obtê-la é por meio da importação. Mas esse cenário está em transição devido à descoberta uma variação de lúpulo no Brasil. Se você quer entender melhor como o cultivo e venda dessa matéria prima acontece no país, encontrou o texto certo!

A safra do lúpulo no mundo

O lúpulo é originário da Europa e da Ásia, mas atualmente é produzido com qualidade também pelos Estados Unidos, Austrália, Argentina, Canadá e Nova Zelândia.

O que todas essas localidades têm em comum são fatores como regime de chuvas, luminosidade e temperaturas ideais para o desenvolvimento da planta. A safra dela acontece no final do verão, ou seja, entre agosto e setembro no hemisfério norte, e durante fevereiro e março no sul.

Os maiores produtores internacionais

No geral, as variações de amargor oriundas do lúpulo, e degustadas nas cervejas, são devidas às diferentes formas de incorporá-lo à receita. Ou seja, uma mesma flor pode produzir bebidas com corpos diferentes.

Apesar disso Alemanha, Bélgica, Reino Unido e Estados Unidos ainda são conhecidos por cultivarem o lúpulo de maior amargor no mundo. A qualidade das plantas da Austrália também é equiparada à produção europeia, com destaque para a Nova Zelândia, conhecida pelas flores orgânicas.

A descoberta do lúpulo no Brasil

Até o ano de 2014, a produção do lúpulo no Brasil era muito custosa. Isso acontecia porque a única forma de fazer a colheita era reproduzir artificialmente as condições climáticas ideais. Mas, mesmo assim, a qualidade era baixa e a quantidade muito pequena.

Essa realidade começou a mudar em 2015, quando um produtor da Serra da Mantiqueira encontrou meios para produzir uma variação da espécie que conseguiu crescer (e bem) na região — o lúpulo também é carinhosamente chamado de lúpulo Mantiqueira.

A partir daí, produtores de todo o Sul e Sudeste do país passaram a experimentar esse cultivo e produtores como Brasil Kirin resolveram começar a investir em cervejas com o lúpulo nacional.

Características da produção nacional

Com a descoberta recente dessa variação do lúpulo, as safras até hoje foram bastante experimentais. Entretanto, esse pouco tempo já foi suficiente para conquistar lúpulos aromáticos com índices de alfa ácidos entre 10 e 14%.

Já no quesito produtividade, alguns dos experimentos realizados no país chegaram em quantidades intermediárias, quando comparados aos grandes produtores mundiais, mas ainda insuficientes para atender à demanda. A produção brasileira ainda engatinha e faltam resultados verdadeiramente positivos para que ela transforme a realidade dos pequenos produtores.

Os impactos para os pequenos produtores

O principal impacto do desenvolvimento de um lúpulo brasileiro é a diminuição dos custos de produção.

Apesar de essa ser uma excelente notícia para a agricultura nacional, ela ainda não é uma realidade que impacta diretamente os pequenos produtores de cerveja, principalmente porque ainda não é possível adquirir o lúpulo brasileiro na quantidade necessária. E, por isso, o cervejeiro não pode arriscar a sua produção com base em uma agricultura que ainda figura no âmbito das apostas.

A descoberta de uma variedade de lúpulo no Brasil pode parecer uma boa notícia à primeira vista. Entretanto, a variedade nacional dessa matéria-prima está ainda em fase de desenvolvimento. Portanto, até que os pequenos produtores possam fabricar cervejas com sabores diretamente ligados ao território brasileiro, muita coisa ainda tem que acontecer.

Por enquanto, a importação do lúpulo é a forma mais garantida de manter a qualidade da bebida. As opções são inúmeras e oriundas das melhores produções do mundo: as europeias e americanas.

Só para lembrar você que estamos no Facebook, Instagram e Twitter, ok?

Um abraço!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

2 Comentários

    Fale o que você pensa

    O seu endereço de e-mail não será publicado.