Mercado Universo da Cerveja

Dortmund apresenta duas novidades

SEGUIR NO INSTAGRAMPowered by Rock Convert

A Cervejaria Dortmund levará duas novidades ao Degusta Beer, evento que acontece simultaneamente à Brasil Brau – XI Feira Internacional de Tecnologia em Cerveja – que será realizada de 25 a 27 de junho, no Transamerica Expo Center (São Paulo). A primeira é uma cerveja do estilo white IPA, feita com base de uma witbier, com generosa carga de lúpulos aromáticos americanos. O segundo lançamento é a cerveja da Banda de Rock Matanza, uma IPA.

White Reduz.

A The White IPA é a primeira sazonal da Dortmund. Uma cerveja que mistura o clássico e o moderno, assim como a cervejaria. Um mix de estilos que combina as especiarias do estilo witbier e o frescor do trigo, com os lúpulos potentes e aromáticos das melhores cervejas do estilo American India Pale Ale.  Amargor na medida certa, com seus 50 IBUs, e muito dry-hopping de cascade. É a primeira White IPA com distribuição nacional.

matanza-01 Reduz

Já a Matanza IPA é uma cerveja para poucos. “Pé na porta e soco na cara!” De alta fermentação, coloração alaranjada, notas de maltes especiais e grande presença de lúpulos cítricos americanos. Seu amargor é intenso e pode ser harmonizada perfeitamente com carnes de caça e pratos condimentados. É sempre melhor servida ao som de Matanza, banda de rock do Rio de Janeiro, ícone do gênero que a mídia intitulou de “countrycore”. No contrarrótulo da garrafa, um resumo da banda: “Sob o calor infernal do Rio de Janeiro, em 1997, nascia uma das mais respeitadas bandas independentes de rock pesado do Brasil: O Matanza!” O Quinteto from Hell arrasta multidões enfurecidas nos quatro cantos do Brasil graças ao seu estilo único de fazer música.

 

Fonte: Cervejaria Dortmund

 

aprender a fazer cerveja em casaPowered by Rock Convert

Sobre o Autor

Carlos Lara

Marketeiro e Sommelier de Cerveja. Criei a minha paixão pela cerveja há um tempo, principalmente vendo jogos de futebol e hoje escrevo conteúdos sobre diversos assuntos nas horas vagas.

8 Comentários

  • Me incomoda um pouco essa questão onde tudo que vai mais lúpulo é IPA… Banalizaram o estilo, as outras características são frequentemente ignoradas. IPA não é só lúpulo, tem o corpo médio-leve, textura seca, os tons frutados, a água calcária, a graduação beirando os 7%, a drinkability… Os lúpulos britânicos então, nem se fala… A moda agora é Cascade, Amarillo, Citrus, Centenial… É só encher de amargor cítrico e tudo vira IPA!!!!

    Não seria mais correto, e bem mais bacana, chamar a cerveja de Withop, Whitehop, Hopwit, Hopped White, etc etc etc etc…

    Agora entendi o projeto Single Hop da BrewDog… Realmente, IPA is dead!!!

    • Cara, a Samuel Adams q eh altamente gabaritada tem uma witIPA tbm. Tem uma cervejaria q fez uma black wit em homenagem ao Galo…o céu é o limite rsrs

      • Não estou reclamando exclusivamente da Dortmund, mas sim do conceito geral… IPA virou moda por ser um estilo maravilhoso, mas é um estilo completo, não é sinônimo de lúpulo. Estão enterrando a clássica IPA, a inglesa, mais equilibrada. Já era, quase ninguém faz… A IPA da Karavelle tem tanto dulçor e álcool que parece uma Old Ale, por exemplo, mas como tem lúpulo, chamaram de IPA!!!

        Estou tão inconformado, que vou na Cervejaria Nacional tomar uma Mula!!! IPA de primeira. 😀

      • Ola Paulo Brunoro,

        Você que gosta tanto de uma English IPA, saiba que a MULA IPA é uma American IPA, que utiliza os lúpulos Chinook, cascade e Simcoe.
        Mas aproveitando que você também adora ela, durante a Brasil Brau também haverá o lançamento da MULA IPA em garrafa feita aqui na Cervejaria Dortmund.

        Além disso, há dois estilos de American IPA nos EUA. A IPA da costa leste, onde há mais equilíbrio entre o dulçor e a carga de lúpulos. E a IPA da costa Oeste, que é um chazim de lúpulo delicioso. Portanto, as duas formas de IPA são corretas. Além claro, da English IPA que utiliza os lúpulos Fuggle e Goldins.

        E White IPA é um estilo recente, norte-americano, onde há mais ou menos 200 amostras nos EUA. A ideia é algo que equilibre os 50 IBUs com o coentro, casca de laranja e o trigo não-maltado.

        Abraços,

      • Caramba, sinceramente não sentia tanto cítrico na Mula, para mim é um leve cítrico e floral característico das Inglesas, mas ela também usa maltes americanos? Porque não sinto o abiscoitado. O pessoal de lá já me falou do lançamento… Prova-la-ei (com mesóclise e tudo)!!!! E não é que eu não goste de American IPA, adoro, inclusive esse post está sendo acompanhado por uma Founders Centenial.
        Queria também deixar claro, como disse, que não estou criticando a Dortmund ou a cerveja em si (aliás, parece ser muito boa) critico sim esse modismo (lançado pelos americanos, acredito que com intenção comercial) de colocar o sufixo IPA em tudo que leva mais lúpulo. É Weizen IPA, Belgian IPA, White IPA, até para Black IPA eu torço o nariz (perdão Bernardo). Eu acredito que isso distorce todo o estilo, descaracteriza toda a essência e a história. Tem gente acostumada a beber cerveja que nao sabe o que é uma IPA (não escrevo English porque, pra mim, IPA só tem uma!!! hehe).

        Nos vemos na Brasil Brau!!!!!

        Abraços

    • Eh mesmo. E parece que pela primeira vez o estilo da cerva condiz com a banda. a do Sepultura ser uma weiss foi dose! A do blues etílicos talvez seja a mais condizente

Comentar