Universo da Cerveja

Cervejas americanas: 6 rótulos da escola americana!

Cervejas americanas
Escrito por Caio Melo
SEGUIR NO INSTAGRAMPowered by Rock Convert

A escola americana é marcada por intensidade e exageros, seus estilos na grande maioria das vezes inspirados na escola belga e inglesa. O resultado? As cervejas americanas são conhecidas pela grande utilização do lúpulo, além da intensificação do teor alcóolico.

Hoje vamos falar sobre essa escola cervejeira, que das quatro escolas é a mais jovem, porém é a que mais cresce, portanto fique conosco e aprenda tudo sobre ela.

A história da cerveja nos Estados Unidos

Antes de se falar do cenário atual das cervejas americanas, é interessante conhecer um pouco mais sobre sua influência história, desde o início da sua produção, as influências no seu estilo e até o período da lei seca.

A cerveja no EUA começou no século XIX, onde o consumo per capita da bebida ainda era baixíssimo. Passados os anos no final do século XIX o número de cervejarias e o consumo cresceu assustadoramente, em números parecidos com o que temos hoje.

Foi aí que veio a lei seca no início do século XX.

O que foi a Lei Seca nos Estados Unidos?

Antes da Lei Seca a cerveja americana já vinha passando por mudanças. Quando imigrantes alemães começaram a chegar no século XIX, eles trouxeram consigo a cultura das cervejas Lagers.

Já ao final do século, por conta da influência alemã, houve o inicio da produção de Light Lagers, cervejas que apresentavam uma aceitação maior na grande massa, por serem cervejas com um corpo baixo, assim como seu teor alcoólico, além de adição de adjuntos na produção.

Fazendo com que várias outras cervejaria independentes fechassem as portas.

A Lei Seca foi iniciada no dia 16 de janeiro de 1920 e durou até 1933, durante o qual era proibido a produção, transporte e vendas de bebidas alcoólicas.

Logo após a lei ser revogada poucas cervejarias voltaram a produzir, e produzir em grandes quantidades e a grande maioria produzindo apenas um estilo: Light Lager.

Em 1970 começou o surgimento dos homebrewers (cervejeiros caseiros) e esse movimento fez com que cervejas de uma qualidade sensorial maior voltassem a ser produzidas e surgiram as microcervejarias, também chamadas “craft beer” (cerveja artesanal).

Os homebrewers começaram a produzir estilos que não existiam no mercado, começando uma jornada que era defendida por indivíduos que buscavam uma cerveja com maior qualidade sensorial, cervejas mais complexas e não uma estratégia corporativa.

Hoje atualmente nos EUA existem mais de 6000 cervejarias independentes de acordo com a BrewersAssociation.org, mostrando a importância e o crescimento do movimento. Podemos destacar o motivo desse crescimento ao fato das experiências colaborativas, que são chamadas de “open source”, onde todo conhecimento é dividido e compartilhado, facilitando o crescimento da qualidade do produto final.

A escola de cerveja Americana

Existem quatro escolas cervejeiras: a alemã, belga, inglesa e americana.

O que diferencia a escola americana das outras mais tradicionais é que ela possui como característica a adaptação de outros estilos já existentes, porém com os lúpulos americanos, que agregam aroma e sabores cítricos, lembrando maracujá, abacaxi e pinha, além do resinoso.

A escola americana apesar de ser a mais nova é a que mais contribui para o crescimento da cerveja artesanal, pois tem como base a diversidade de estilos, muita informação colaborativa, qualidade, educação, paixão e muito mais.

O mercado brasileiro está em pleno crescimento e toma como exemplo a escola americana.

Cervejas americanas para você experimentar

Como dito anteriormente, a escola Americana buscou sempre referências e adaptações de outras escolas, por isso existe uma grande variedade de estilo e listaremos 6 cervejas para conhecer um pouco mais a respeito.

#1. Brooklyn Lager

Brooklyn Lager

Uma cerveja do estilo Vienna Lager, de Nova York.

Produzida pela cervejaria Brooklyn Brewery, fundada em 1988. Cerveja leve e refrescante, no aroma e sabor o cítrico e resinoso, além do caramelo proveniente do malte e teor alcoólico de 5,2% — pode-se dizer que se trata de um exemplo clássico de Vienna Lager.

#2. Sierra Nevada Torpedo IPA

Sierra Nevada Torpedo IPA

Uma cerveja do estilo American IPA produzida pela tradicional cervejaria Sierra Nevada, que se encontra no páreo entre as 10 maiores cervejarias do Estados Unidos.

A cerveja se caracteriza pelo seu alto amargor de lúpulo, porém um amargor elegante que remete tanto no sabor quanto no aroma frutas cítricas e tropicais e a pinha, com teor alcoólico de 7,2%

#3. Goose Island IPA

Goose Island IPA

Seguindo a premissa do estilo da escola americana, onde ela se baseia em várias referências européias, com a Goose não foi diferente. John Hall, seu fundador estava em uma viajem pela Europa quanto provou de diversas cervejas e disse : “Os EUA também merecem uma p*** de cerveja boa como essa”.

Se tratando da Goose Island IPA, temos uma cerveja do estilo English IPA, premiada e reconhecida internacionalmente. Apresenta no aroma e sabor o frutado além do herbáceo e terroso característico dos lúpulos da escola inglesa, além de um amargor persistente e elegante, e teor alcoólico de 5,9%.

#4. Bud Light

Bud Light

Também conhecida como a Light lager favorita da América e produzida pela gigante Bud.

Uma cerveja do estilo American Light Lager, a cerveja mais vendida no mundo. A referência do estilo de massa americano, cerveja leve e refrescante com teor alcoólico de 4,2%.

#5. Kona LongBoard

Kona LongBoard Island Lager

A Kona Brewing Company é uma cervejaria fundada no arquipélago do Havaí e tem uma característica marcante onde suas receitas levam lúpulo, malte e fermento próprios do Hawaii.

A Kona LongBoard é uma cerveja do estilo Premium American Lager, refrescante e leve, com alta drinkability, um fator curioso ela é envelhecida durante 5 semanas em temperaturas frias para atingir o seu aroma e sabor, teor alcoólico de 5%.

#6. Sea Dog Wild Blueberry

Sea Dog Wild Blueberry

Uma cerveja do estilo Fruit Beer, uma cerveja que tem na sua composição trigo e a adição de mirtilo selvagem, cerveja super refrescante, ótima para matar a sede, teor alcoólico de 4,7%.

Agora que falamos um pouco mais das as cervejas americanas, que tal conhecer mais sobre as belgas e também alemãs?

aprender a fazer cerveja em casaPowered by Rock Convert

Sobre o Autor

Caio Melo

Autor convidado pelo Homini Lúpulo, Engenheiro de Alimentos pela Universidade São João Del Rei campus Sete Lagoas e Bier Sommelier pelo ICB (Instituto da Cerveja Brasil).

Comentar