Cerveja Petra

Cerveja Petra: conheça a origem e seus estilos

A cervejaria carioca do Grupo Petrópolis, acrescentou a sua carta de cervejas a Petra Origem e todas as outras cervejas e estilos que levam o nome da Petra — agregando a uma demanda de cervejas Puro Malte. 

E hoje resolvemos contar um pouco mais da Petra, suas cervejas e os estilos que estão nas prateleiras de todo o país, portanto se é isso que você busca saber, fique conosco até o final e aprenda mais sobre mais uma marca brasileira de cervejas de larga escala.

 A cervejaria

A cervejaria Petra faz parte do Grupo Petrópolis, dono de várias outras marcas que figuram no mercado como Itaipava, Ampolis, Black Princess, Lokal e também bebidas não alcoólicas como a Petra Água Mineral, TNT Energy Drink, entre outras.

Sua grande aposta para o ano de 2018 foi o lançamento da Origem, cerveja de estilo Premium American Lager que leva o slogan “cerveja como cerveja deve ser”, criada especialmente para um mercado em ascensão de brasileiros exigentes com a qualidade e sabor. 

Ou também chamado de febre da cerveja puro malte.

De ABV beirando os 5,3%, de corpo leve, feita com maltes e lúpulos importados, é uma bebida que concorre facilmente com outras do mesmo segmento Premium, mas não chega a ser tão amarga quanto a Heineken.

Seu aroma de pão e corpo dourado brilhante, remete automaticamente aos dois tipos de maltes usados e seu drinkability deve-se ao uso de água de profundidade.

Sua atuação teve início no Nordeste, acumulando 15% de participação no mercado de cerejas Premium, e um dos grandes fatores para essa conquista foi as altas temperaturas locais. Nacionalmente, a Petra ocupa 2% da fatia tendo a Skol (27%) liderando o mercado.

Além desse estilo, a Petra também possui a fabricação para diversos tipos de paladares, veremos quais a seguir.

Os estilos da marca

Antes da criação da Petra Origem, já existiam em seu portfólio seis tipos de cervejas de estilos variados. Descubra qual é o seu!

1. Petra Weiss Bier

Petra Weiss Bier

Clássica cerveja de trigo de alta fermentação, com aroma remetendo a cravo, pão, mel e banana. Espuma cremosa e densa, com um corpo alto.

Apesar de ser filtrada, tem leve corpo de fundo que a faz ainda mais cremosa e de alto drinkability. É um excelente acompanhamento para dias quentes, harmonizado com pratos frios e leves, como ceviche, peixes e frango, com apenas 5,2% de ABV e 10 de IBU.

2. Petra Aurum

Petra Aurum

A Aurum veio para compor o estilo Pilsen da Petra. As diferenças para o estilo Lager, Petra Origem, são o maior ABV — 6,2% para a Aurum e 5,3% para a Origem — e coloração mais dourada para a Aurum, daí o seu nome ouro, em Latim. 

Ambas são fáceis de beber e combinam com basicamente todos os tipos de comida, desde sobremesas a pratos mais picantes. Toda a linha da Petra utiliza apenas malte, água, lúpulo e levedura, sendo consideradas puro malte.

3. Petra Bock

Petra Bock

Para quem aprecia cervejas bem maltadas mas sem um aftertaste seco, a Petra Bock é uma boa pedida.

Feita com três tipos de maltes que dão uma coloração avermelhada e uma espuma persistente e clara.

O aroma apresenta algumas notas de rapadura e mel, com um drinkability levemente amargo no início e com um final um pouco mais adocicado e alcoólico, demonstrando seus 6,2% de ABV.

Por ter uma dualidade no sabor, recomenda-se harmonizar com comidas mais temperadas e carnes mais salgadas e picantes.

Em comparação com outros tipos de Bocks no mercado, podemos dizer que a Petra Bock é para aqueles que estão em uma fase inicial de descobertas cervejeiras.

4. Petra Schwarzbier

Petra Schwarzbier

Para cervejeiros que gostam de uma cerveja com um leve toque caramelizado e aroma de café, a Petra Schwarzbier representa todos os requisitos.

Com um grau de ABV de 6,2%, em seu aftertaste se pode notar um leve toque alcoólico em conjunto com um sabor mais doce do malte caramelo. 

Aromas de chocolate amargo, café e toffee é sentido logo no início devido ao malte torrado.

Espuma cremosa de cor clara, corpo de média densidade junto com tons amarronzados harmonizam bem com queijos duros, pratos gordurosos como feijoada e sobremesas mais adocicadas.

5. Petra Stark Bier

Petra Stark Bier

Uma das cervejas mais alcoólicas da linha, a Petra Stark Bier é uma Premium American Lager com toques mais amargos e alcoólicos. 

Seus 8,2% de álcool são perceptíveis tanto no aroma quanto no paladar em conjunto com a alta quantidade de lúpulo (40 de IBU), trazendo uma sensação de aquecimento.

Tem um colarinho denso, corpo levemente persistente de coloração dourado escuro e o aroma lembra pão e caramelo.

Para equilibrar com sua potência alcoólica, é recomendado ingerir comidas mais picantes e gordurosas.

6. Petra Escura

Petra Escura

Do estilo Sweet Stout, a Petra Escura tem uma coloração preto fosco, com um colarinho persistente e corpo alto.

É a mais doce da linha, e tem em sua receita maltes torrados e caramelos, que lhe garante aroma de chocolate, nozes, café e caramelo.

O dulçor é prontamente percebido no primeiro gole, que pode incomodar aqueles que não gostam de cervejas mais doces. Fácil de degustar, seu teor alcoólico de 4,4% quase não é notado.

Foi premiada em 2004 no London International Awards como a melhor Sweet Stout. Harmoniza bem com comidas mais salgadas ou sobremesas mais doces.

Considerações Finais

O ponto alto da Petra é possuir vasta gama de estilos para todos os paladares, principalmente aqueles que querem experimentar cervejas diferenciadas em um custo benefício bom.

A Petra Origem é uma das melhores cervejas no estilo Premium do mercado atual tendo em comparação o que se possui no mercado nacional, sendo uma porta de entrada para aqueles que ainda não beberam de uma Premium Lager.

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

2 Comentários

    Sempre ouvia falar sobre a água da cerveja, que influência e etc e sempre achei um mito. Porém eu não consigo gostar de NENHUMA CERVEJA do grupo Petropolis, independente do estilo. E ai lendo essa matéria me deparei com um “drinkability deve-se ao uso de água de profundidade”. No meu paladar é uma das piores drinkability.
    Falei o que eu penso, é isso. vlw galera.

      Obrigado por compartilhar a sua opinião Renato, o mais importante é respeitar o que os outros pensam!

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.