Universo da Cerveja

Qual a diferença entre a cerveja artesanal e industrializada?

cerveja artesanal e industrializada
Escrito por Carlos Lara
SEGUIR NO INSTAGRAMPowered by Rock Convert

As cervejas industrializadas sempre tiveram muito espaço no mercado brasileiro. No entanto, nos últimos anos, produzir cerveja artesanal se tornou uma forma de abrir novos horizontes no que diz respeito à produção de cervejas.

Independente da sua preferência, as diferenças entre a cerveja industrializada e a artesanal, também conhecida como gourmet, são notórias: sabor, corpo, aroma, custo, ingredientes utilizados e processo de produção.

A seguir mostraremos os detalhes da produção dessas cervejas e evidenciar suas diferenças que vão muito além do preço e do sabor.

Cervejas industrializadas

As cervejas industrializadas têm um processo de produção que visa atingir o maior número de consumidores possível. São aquelas de marcas populares e conhecidas, encontradas nos supermercados por um preço mais atrativo e relativamente baixo.

Para alcançar esse objetivo, adotam processos industriais que visam produzir em larga escala ― como acelerar os processos de fermentação e maturação com produtos químicos, a fim de reduzir o tempo de produção ―, baixando os custos para que o produto chegue ao consumidor final com um preço acessível.

Para isso, também utilizam receitas que admitem apenas 60% de malte em sua composição, acrescentando outros adjuntos cervejeiros, como milho, arroz (principalmente nas cervejas industrializadas dos EUA) e outros cereais não maltados, além de carboidratos, antioxidantes e estabilizantes.

Temos como exemplo as nacionais comercializadas como Pilsen.

Cervejas artesanais

Do outro lado estão as cervejas artesanais, que são produzidas em pequena escala, focando na qualidade do produto e não na quantidade.
Sua produção não é massificada, tem aromas e gostos variados, atendendo a diferentes paladares. O custo para a produção da cerveja artesanal é mais elevado do que para as cervejas industrializadas, o que interfere diretamente no preço final, que fica mais alto.

Ao produzir cerveja artesanal, deve-se dar importância aos ingredientes que compõem a bebida: devem ser nobres e selecionados, geralmente importados da Europa, de países que se destacam na produção de insumos cervejeiros.

Tradicionalmente, as cervejas artesanais seguem a Lei da Pureza Alemã, a Reinheitsgebot, instituída em 1516, na Baviera, região sul da Alemanha e expandida para todo o país em 1906. Essa lei determina que a cerveja deve conter apenas água, malte e lúpulo, sem a adição de açúcares, conservantes e outros componentes químicos.

Além dos ingredientes, o seu processo de produção também é diferenciado, respeitando o tempo de fermentação e maturação, sem acelerá-los.

Todos esses fatores tornam a cerveja artesanal saborosa e marcante, associando-a a experiências gastronômicas complexas e paladares mais exigentes.

A arte de produzir cerveja artesanal

Produzir cerveja artesanal é uma arte que vai muito além da escolha de ingredientes diferenciados, da pureza e do processo de produção em pequena escala. Ela é produzida de forma natural pelo cervejeiro, que controla todos os processos. Há uma aproximação entre o produtor e o produto, em uma relação muito diferente da cerveja industrializada, que é feita por máquinas, e não por mãos.

Além disso, há uma ligação da cerveja artesanal com a comunidade em que é produzida, tentando, inclusive, aproveitar ingredientes locais. Não é à toa que muitas cidades têm suas próprias cervejas artesanais com garrafas e rótulos diferenciados, que remetem ao local de produção.

No Brasil, produzir cerveja artesanal tem se tornado mais comum e temos uma participação cada vez mais expressiva em feiras, encontros e campeonatos no mundo inteiro. Isso também evidencia o crescimento de micro e nanocervejarias pelo país.

No World Beer Cup 2016, por exemplo, o Brasil foi o quarto país com mais cervejas inscritas ― 169 rótulos ― apesar de não ter nenhuma cerveja contemplada na premiação.

O fato é que produzir cerveja artesanal não desvaloriza a cerveja industrializada, afinal, gosto é algo relativo e sempre existirá mercado e público para os dois produtos. E sendo moda ou não, as cervejas artesanais acrescentam novos sabores e possibilidades para atenderem a todos os paladares, sejam eles exigentes ou curiosos.

Agora que você já sabe as diferenças entre as cervejas, que tal ler um pouco mais sobre o que é ser cervejeiro?

Um abraço e até a próxima!

aprender a fazer cerveja em casaPowered by Rock Convert

Sobre o Autor

Carlos Lara

Marketeiro e Sommelier de Cerveja. Criei a minha paixão pela cerveja há um tempo, principalmente vendo jogos de futebol e hoje escrevo conteúdos sobre diversos assuntos nas horas vagas.

4 Comentários

Comentar