Universo da Cerveja

Barley Wine: o estilo de cerveja que lembra ao vinho

Cerveja Barney Wine
Escrito por Mariana Rodrigues
SEGUIR NO INSTAGRAMPowered by Rock Convert

No séc. XVIII, o Reino Unido sofreu uma invasão pela Normandia, mesclando a cultura cervejeira inglesa com os vinhos importados diretamente da França, bebida altamente consumida pela aristocracia normanda.

Para competir com esse novo mercado e restabelecer o patriotismo, a Inglaterra criou uma cerveja licorosa, frutada e com alto teor alcoólico devido ao processo de envelhecimento em barril, concorrendo diretamente com os vinhos franceses.

Se ficou curioso em saber mais sobre essa cerveja, continue lendo conosco até o final!

O que é a cerveja Barley Wine?

Provinda da família das Ale, a Barley Wine já teve diversos nomes na história — cerveja de Outubro, de Dorchester, vinho de malte — e os responsáveis por sua produção eram sempre os mordomos de famílias ricas inglesas, únicas que podiam custear o preço dos barris para o processo de envelhecimento, que dura meses ou até anos.

Essa etapa é importante para criar um aroma complexo, sabor frutado e teor alcoólico alto, bem parecida com o vinho do Porto.

Em 1840, depois da popularização das Porter e das Pale Ale, colocar a cerveja em barril para depois consumir já não fazia sentido.

Por isso, o termo Old Ale veio como um termo genérico para exemplificar todas as cervejas que passam por essa transformação, divergindo de Barley Wine.

Características de uma Barley Wine

A cerveja pode ser complexa em alguns aspectos, como por exemplo nos aromas e amargor, por isso vamos falar o que fez uma cerveja ser tão marcante em um mercado disputado pelos vinhos franceses.

Coloração

Geralmente, são fabricadas com maltes claros (padrão das English Barley Wine) mas a concentração de açúcares combinada com a longa fervura na caldeira deixa a cerveja mais escura, com uma tonalidade âmbar, característica das American Barley Wine.

Sua coloração pode variar de 28 a 36 EBC.

Aroma

O mosto forte e espesso gera um inebriante aroma frutado remetendo a uma junção de caramelo, frutas cristalizadas, toffee e rapadura.

Também pode ser percebido notas de envelhecimento e vinificação como tons aceitáveis e positivos.

Possui um teor alcoólico que varia de 8% à 12%, ajudando no aquecimento do rigoroso inverno europeu. A força desse teor é sentida logo no paladar, dando uma sensação de  aquecimento e trazendo o dulçor no aftertaste.

A levedura Ale, comumente usada na produção das Bitter, precisa ser bastante controlada para não deixar a bebida doce e alcoólica demais.

A carbonatação é geralmente pouca e, a medida que envelhece, perde-se o amargor e seu corpo se torna licoroso e denso.

Amargor

Devido a seu elevado teor alcoólico, ela se trata de uma cerveja com um residual doce de malte bem elevado, e a maneira de equilibrar isso é através do seu amargor.

A presença de lúpulo nessa cerveja vai de baixa até a média intensidade com 40 até 60 IBU, pois sem ele seria como um licor.

American Barley Wine

É a versão americana das English Barley Wine, dando ênfase ao lúpulo para atender a demanda de amargor do mercado.

Nesse grupo, encontram-se as cervejas com um aroma mais herbal e de coloração escura, semelhantes às IPAs. Por serem envelhecidas por bastante tempo, ainda permanece o alto teor de ABV mas com menos dulçor, encontrando um desequilíbrio entre malte e lúpulo.

Como harmonizar uma Barley Wine

Por ser mais forte e densa do que refrescante, é interessante harmonizar com alguns tipos de comidas de igual intensidade para que fique melhor ao paladar.

As variedades mais doces são uma excelente opção para acompanhar pratos mais gordurosos como costela bovina e carne de panela. Enquanto o lúpulo fornece amargor, a carbonatação leve ajuda na digestão da gordura, e o dulçor é um contraponto com o sabor forte da carne.

Para apreciadores de vinhos, não poderia faltar um bom queijo. Os do tipo intensos e condimentados são uma ótima combinação para Barley Wines mais jovens. Cheddar e Gruyére também ficam excelentes com qualquer linha.

Sobremesas mais caramelizadas aliados a sorvetes também são ótimas para equilibrar o sabor intenso do malte e o forte teor alcoólico.

Rótulos clássicos para se conhecer

Algumas cervejarias mantém o padrão das cervejas produzidas desde o século XVIII, imperdíveis na lista de qualquer cervejeiro!

1. Fuller’s Golden Pride

Fuller's Golden Pride

No final do séc. XX, o cervejeiro Reg Drury produziu a Golden Pride, uma Barley Wine dourada, vendida em apenas garrafas pequenas com aroma  de frutas cristalizadas e sabor suave.

Já a Fuller’s Vintage Ale, é condicionada em garrafas numeradas e engarrafadas antes de deixar a cervejaria. Possui uma cor âmbar intensa e brilhante, e apresenta um aroma de feno, terra, lúpulo, e geleia de frutas. É uma bebida típica de guarda: quanto mais tempo engarrafada, melhor.


2. Sierra Nevada Bigfoot

O nome Bigfoot vem em homenagem ao pé grande, transparecendo uma cerveja grande e esplendorosa. Feita pela primeira vez no inverno de 1983, toda garrafa vem numerada com data e lote para os colecionadores de cervejas em barril.

Possui em sua composição dois tipos de maltes Pale Ale e um caramelo, dando uma coloração marrom escura e um aroma de rapadura e frutas. Tem 9,6% de ABV e 90 de IBU, bem característico da Barley Wine americana.


3. Anchor Brewing

A primeira cervejaria dos EUA criou a Old Foghorn Barley Wine Style Ale em 1975, baseada nos métodos ingleses de fabricação. O nome “Old” deriva de Old Ale, palavra genérica para dizer cerveja que passa por um processo de maturação em barril e “Foghorn” para relembrar a cidade de São Francisco.

Ela passa por um processo de Dry- Hopping com o lúpulo Cascade e utiliza dois tipos de malte Pale Ale e um caramelo. Seus 8% de ABV transparecem no aftertaste junto com seu alto amargor.

4. Tupiniquim Nosferatu

A cervejaria de Porto Alegre tem em sua linha a Nosferatu, uma cerveja do estilo English Barley Wine. Com notas de toffee, traços terrosos, frutas secas e caramelo possui um corpo denso e complexo, de coloração avermelhada e baixa carbonatação.

Seus 10% de ABV são bem inseridos, sentindo apenas um aquecimento no aftertaste. Por ser da linha inglesa, quase não é sentido amargor e o dulçor prevalece.

Considerações finais

A Barley Wine é muito indicada para quem já aprecia vinhos e cervejas mais licorosas. Seu dulçor pode incomodar cervejeiros iniciantes, sendo interessante começar pelo estilo americano.

Uma excelente opção é harmonizar com sobremesas no estilo inglês e carnes mais gordurosas com sabor intenso para a American Barley Wine. Saúde!

aprender a fazer cerveja em casaPowered by Rock Convert

Sobre o Autor

Mariana Rodrigues

Engenheira apaixonada por cerveja e tecnologia. Em busca sempre das melhores cervejarias locais!

Comentar