Banquete viking

Conheça a história e origem do hidromel

Não sei se você sabe ou já ouviu falar, provavelmente sim na época da escola, mas quando falamos sobre hidromel devemos sempre ressaltar a importância das abelhas para a vida na terra, principalmente na polinização das plantas, e no caso do texto de hoje, para a produção do mel. 

O hidromel é essencialmente mel fermentado e água, por vezes aromatizado com frutas, grãos e especiarias e possui o seu processo produtivo parecido com o da cerveja e vinho, tendo um teor alcoólico médio de 14% até 20% de ABV.

É uma bebida frequentemente e historicamente consumida na Europa, tanto oriental quanto ocidental, pois praticamente qualquer país europeu que produza mel tem uma história de produção e valorização de hidromel.

Fora da Europa, o hidromel foi e continua sendo muito popular na Etiópia, onde é conhecido como tej. Normalmente uma bebida feita em casa, o tej é geralmente aromatizado com folhas em pó da planta gesho, um arbusto africano que confere um sabor ligeiramente amargo e preserva a bebida, como o lúpulo faz com a cerveja.

Tido (provavelmente) como a bebida alcoólica mais antiga do mundo, vamos contar mais sobre sua gloriosa história por aqui.

A origem do hidromel

É referenciado nas antigas culturas da China, Índia, Grécia e Egito. As primeiras evidências documentais sugerem que uma bebida de mel fermentado foi consumida no ocidente, nas regiões da China e Índia em 3000 aC. 

O hidromel tem particular importância na mitologia nórdica, especialmente na lenda de uma bebida lendária com poderes mágicos conhecida como Hidromel da Poesia (Poetic Mead). No decorrer da história, deuses mitológicos criaram um homem chamado Kvasir, feito da saliva de todos os deuses.

Ele era tão sábio que poderia responder a qualquer pergunta, e quando foi morto, seu sangue foi misturado com mel, resultando em um hidromel que proporciona sua inteligência para outras pessoas, como os poetas, por isso o nome Hidromel da Poesia. Ou também embriaguez, convenhamos.

Por causa dessa crença, é fácil ver por que os antigos pensavam que o hidromel tinha propriedades mágicas e sagradas e prolongava a vida, conferia saúde, força, virilidade, poderes recriadores, sagacidade e poesia. Onde também vikings consideravam-no uma bebida dos campeões que era entregue a eles por uma bela donzela assim que alcançavam Valhalla, um grande edifício habitado pelos deuses cujo grande salão era reservado exclusivamente para aqueles que morreram em batalha.

De acordo com o mito, muitos deuses nórdicos também bebiam hidromel como meio de aumentar seus poderes, incluindo Odin, o rei dos deuses, e Brage, o deus da poesia.

Já os antigos gregos chamavam hidromel de ambrosia ou néctar e se acreditava ser a bebida dos deuses, que descia dos céus como orvalho, antes de ser recolhida pelas abelhas. Em contos de algumas mitologias é dito que o hidromel era considerado a principal bebida da época, sendo capaz de trazer respostas de alguns questionamentos — sendo conhecido como néctar dos deuses.

Enquanto celtas falavam de um rio de hidromel que atravessa o paraíso, enquanto a cultura anglo-saxônica considera o hidromel o doador de imortalidade, poesia e conhecimento.

Seu tradicional copo

Embora hoje o hidromel seja consumido em diferentes recipientes, como a taça de vinho para nós ou um berele para os etíopes, sabemos que historicamente não foi assim.

Quem nunca viu nos filmes dos vikings onde eles se reuniam ao redor de grandes mesas para aproveitarem seu banquete antes da guerra e se embriagaram com um imponente copo de chifre às mãos?

O chifre é um dos copos mais conhecidos para o consumo do hidromel, mas não os únicos. Na The Mazer Cup, a maior competição de hidromel do mundo, eles prezam pela tradicionalidade e apresentam o mazer como copo tradicional, ele se parece com uma tigela e tem seu formato arredondado e aberto, semelhante ao formato de uma taça de vinho sem a haste.

A representação nas culturas

As lendas da Alemanha, Noruega e os celtas têm deuses e mortais tomando hidromel de chifres de vaca, taças ou vasos cerimoniais, muitas vezes concedendo poderes mágicos e importância ritual.

Na verdade, a mitologia do hidromel existe em nossa cultura hoje, despercebida pela maioria. O próprio termo “lua de mel” vem da antiga tradição de dar aos noivos uma quantidade de hidromel para ser consumida em 30 dias, pois isso representa um ciclo lunar completo. 

Há muito se pensava que isso garantiria a virilidade, a fertilidade e uma união frutífera, ajudando na fertilidade do casal para gerarem seu primeiro filho. E esta bebida, embora lembrando banquetes medievais e brigas feudais, está ganhando cada vez mais espaço nos dias de hoje, sendo considerada febre por algumas manchetes de jornais.  

Game of Thrones, a famosa série de TV da HBO que representa dinastias em guerra, brutalidade, contos de dragões e nudez, foi considerada uma das responsáveis pelo movimento de volta do hidromel, seja pela produção em casa ou também em eventos medievais, tradicionais em alguns lugares do mundo. 

Bebendo hidromel Game of Thrones

A fabricação do hidromel

Presumivelmente, o hidromel era feito nos tempos antigos diluindo o mel com água em vasos de barro ou madeira, deixando então leveduras transportadas pelo ar e aquelas encontradas naturalmente no mel para fazer o resto. Hoje, os produtores comerciais de hidromel tendem a usar uma mistura de mel, fermento fresco, limão e água.

Alguns produtores utilizando de métodos não tão tradicionais começam a fermentar para que possam dizer que seu hidromel é “feito tradicionalmente”, mas, em seguida, adicionando álcool puro para aumentar seu teor alcoólico e evitar um período de maturação. Como a cerveja, o hidromel tradicional às vezes é aromatizado com frutas, especiarias, grãos ou lúpulo.

Após a fermentação, é necessário conservar pelo menos um ano antes de ser consumido. O hidromel é produzido em uma variedade de níveis de doçura, desde o seco até o altamente doce (e alcoólico), e também pode ser como um espumante.

Apenas alguns itens essenciais são necessários para começar a produzir hidromel e incluem um galão, air lock, tubo de plástico, garrafas de vinho e rolhas, fermento e alguns agentes esterilizantes.

Normalmente 2 quilos de mel com 3,5 litros de água dão 5 litros (1 galão) de hidromel médio. Inicialmente, o mel e a água são fervidos para matar o fermento selvagem, embora a tecnologia moderna esteja começando a usar a ultrafiltração em vez da fervura. Depois, limões e chá podem ser adicionados para dar uma cor mais escura.

Esta mistura é então fermentada por 4 a 6 semanas usando fermento fresco. O hidromel é então extraído em garrafas e envasado. Após 12 meses, ele pode ser armazenado por mais 12 meses, e nessa época ele estará mais maduro e muito bebível.

Curso como fazer hidromel
👇 Gostou do conteúdo? Compartilhe o conhecimento!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.