Cervejas não alcoolicas

Veja as 4 diferenças entre cervejas com e sem álcool

Há anos atrás, era comum muitas pessoas torcerem o nariz na hora de degustar cervejas sem álcool, mas elas tinham razão, pois as primeiras cervejas sem álcool que chegaram por aqui realmente não tinham muita graça nem gosto.

E esse tipo de cerveja acabou por ser a única opção permitida para algumas pessoas, como gestantes, alérgicos, aqueles que sabem que precisarão pegar no volante mais tarde ou simplesmente as pessoas que não estão com vontade de tomar uma cerveja com álcool no dia.

Felizmente, diferente de antigamente, hoje temos melhores exemplares de cervejas sem álcool, como Heineken 0.0, Brewdog, Becks, Hoegaarden, Paulaner, Roleta Russa, Erdinger, Dávida e muitas outras marcas.

A fim de fazer com que você possa entender melhor a diferença entre cervejas com e sem álcool, preparamos este post com algumas informações, bora lá?

1. Teor Alcoólico

É claro, esse a é a principal diferença entre esses tipos de cerveja, mas você já parou para pensar se o teor alcoólico é mesmo 0,0%? Pois bem, de acordo com o Artigo 66 do Decreto n° 2.314, de Setembro de 1997, cervejas com menos de 0,5% de teor alcoólico são consideradas sem álcool.

O Inmetro realizou em julho de 2015 uma pesquisa e concluiu que a ingestão moderada desse tipo de cerveja (com até 0,5% de teor alcoólico) não provoca impacto diante do teste do bafômetro.

A pesquisa foi realizada com homens e mulheres de perfil variado que beberem 700 ml de cerveja sem álcool (ou seja, teor alcoólico entre 0,0% e 0,4%). Ao final, todos foram submetidos ao teste do bafômetro duas vezes, e em todos os casos acusou 0,0%.

2. Processo de fabricação

Existem alguns processos especiais para a elaboração da cerveja sem álcool, que em algum ponto se diferem do processo de fabricação tradicional. Listamos os mais conhecidos abaixo:

Fervura

Esse é o processo mais simples. A cerveja, que até então passou pelo processo tradicional de fabricação, agora é exposta a elevadas temperaturas para que o álcool evapore até o limite mínimo necessário, pois sabemos que uma das propriedades do álcool é a sua volatilidade.

Destilação a vácuo

É parecido com o processo anterior. A diferença é que a bebida é colocada a vácuo, ocasionando um aumento de pressão, que faz com que o álcool evapore a uma temperatura menor do que no caso acima, sendo necessário ferver por menos tempo para eliminar a substância.

Fermentação interrompida

Como o próprio nome já sugere, o processo de fermentação, que neste caso é feito em temperatura menor do que o tradicional, é interrompido logo após o início, apenas para a produção de carbonatação, impedindo a produção de álcool.

Osmose reversa

Nesse processo, a cerveja é submetida a uma espécie de filtro, onde ficam contidos os ingredientes componentes do sabor, exceto a água e o álcool. Então, é feita uma destilação para a retirada do álcool, e o líquido que permanece é adicionado novamente aos demais ingredientes que ficaram no filtro.

3. Sabor

As cervejas provenientes do processo de fermentação interrompida apresentam, em geral, um sabor mais adocicado, isso porque os açúcares que seriam fermentados para a produção do álcool continuarão na bebida. Mas essa não é a regra, pois se experimentarmos cervejas mais amargas como a Heineken, é muito claro o sabor de seu lúpulo.

As cervejas provenientes do processo de fervura podem apresentar sabor e aroma diferenciados, pois se a bebida é exposta à elevada temperatura para a ebulição do álcool, os demais compostos de sabor também serão, ocasionando, às vezes, a alteração das características desses compostos.

Na destilação a vácuo, a alteração de sabor pode se apresentar mais amena, já que a exposição ocorre por menos tempo e a uma temperatura menor do que no processo de fervura.

Por fim, no processo de osmose reversa a vantagem é que os compostos não são expostos a elevadas temperaturas, não ocasionando grandes diferenças de sabor.

4. Quantidade de calorias

Outro fator que podemos citar é a diferença de caloria entre as versões com e sem álcool. Levando em consideração que cada grama de álcool possui em média 7 calorias, a versão sem álcool apresenta menor quantidade calórica.

Em estudo publicado na revista Neuropsychopharmacology (nome complicado né?), cientistas revelaram que o gosto da cerveja pode ser o suficiente para desencadear a liberação de dopamina e, consequentemente, provocar a sensação de prazer.

Já pensou? O simples sabor da bebida provocando boas sensações, mesmo sem a presença do álcool? Certamente um bom motivo que pode fazer com que essas cervejas sejam cada vez mais apreciadas.

Agora que abordamos algumas diferenças, sinta-se vontade para experimentar alguns rótulos da mesma fabricante, com e sem álcool, e nos contar quais foram as suas impressões.

Saúde! 🍺

Curso como fazer cerveja (1)
👇 Gostou do conteúdo? Compartilhe o conhecimento!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.