degustação de cervejas

Como degustar cerveja: um guia com o passo a passo

A cerveja é a terceira bebida mais popular do mundo, e atualmente a bebida alcoólica mais consumida. Saber degustar cerveja não é apenas ingeri-la. Mas também sentir seu aroma, observar seu aspecto físico, e usar todos os sentidos além do paladar.

Entretanto, outros fatores influenciam na degustação de uma cerveja, como a escolha do copo, o ambiente, a temperatura da cerveja, o tipo de comida que você escolheu para acompanhá-la e até mesmo sua condição física naquele dia de degustação.

Confira nesse post tudo o que você precisa para degustar uma cerveja.

Passo a passo: usando os 5 sentidos

Muitos focam apenas no olfato e paladar na hora de apreciar uma cerveja. Mas para iniciar uma boa degustação, vamos mostrar a importância dos seus 5 sentidos (audição, visão, olfato, paladar e o tato) no momento da degustação e como realizá-la de maneira correta.

1. Audição

“Tsss”… Aquele barulhinho quando você abre a garrafa ou lata já diz um pouco sobre a carbonatação da cerveja. Dependendo da intensidade, você já imagina se a cerveja é muito ou pouco carbonatada.

2. Visão

Agora vamos focar na aparência. Sirva a cerveja em um copo limpo, observe a cor, se ela é turva ou brilhante, e também características da espuma, se ela se forma bem, se ela dura no copo e até mesmo sua cor.

A aparência da cerveja, principalmente a cor, vai te dar uma noção do que esperar dos maltes usados na receita e possíveis sabores que virão nos próximos sentidos.

Uma cerveja mais clara em geral vai apresentar mais notas de miolo de pão, cervejas de cor âmbar podem apresentar notas carameladas e tostadas, e por fim cervejas escuras notas de chocolate, café e torra. Mas cuidado, a visão pode te trair. Nem sempre essa relação entre a cor e o sabor do malte será satisfeita. Então, seguimos para os próximos sentidos.

3. Olfato

Posteriormente, a degustação da cerveja passa pelo critério olfativo, esse é determinante para a degustação, pois o aroma sentido pelo olfato é um dos sistemas que determinarão o sabor da cerveja. Os outros dois serão o paladar e o tato, que explicaremos à frente.

Aqui sinta o aroma levando o copo lentamente ao nariz (é importante que você deixe um espaço no copo para isso).

Sinta o aroma de perto, de longe, inspire lentamente, depois profundamente, dê uma leve girada na cerveja no copo, inspire novamente. Esse aroma te lembra o que? Miolo de pão, casca de pão, caramelo, chocolate, café? Frutas frescas ou frutas secas? Frutas tropicais ou frutas cítricas? Um floral, herbal, terroso? Talvez condimentado como noz moscada, pimenta-do-reino, cravo? Sua memória olfativa será bem testada nesta etapa.

4. Paladar

A parte mais esperada é apreciá-la no paladar, neste momento você irá sentir as características de gostos básicos que a cerveja apresenta, como doce, amargo, acidez e em alguns estilos até mesmo o salgado. Tome um gole da cerveja e distribua-a por toda sua boca, permitindo que suas papilas gustativas sintam os gostos. Algum desses gostos básicos se sobressai? Qual a intensidade de cada um? Qual gosto permanece na boca após o gole?

Lembre-se que o paladar é relacionado apenas aos 05 gostos básicos (ácido, doce, amargo, salgado e umami). Os aromas que você sente na boca ao ingerir a cerveja é sentido pelo sistema olfativo, pela chamada retronasal, que são receptores de olfato na cavidade nasal acima da garganta.

5. Tato

O tato também é um sentido utilizado durante a degustação. Nesse momento em que sua boca está em contato com a cerveja você irá sentir o corpo da cerveja, carbonatação e também a temperatura.  Ela tem um corpo baixo como uma água, um corpo médio, ou um corpo alto como um licor? A carbonatação é baixa, média ou alta que chega a “pinicar” sua língua como um espumante?

Agora combinando o aroma (olfato), o gosto (paladar) e as sensações de boca (tato) temos o que chamamos de sabor da cerveja.

Sabor = Aroma + Gosto + Sensação de boca

Lembre-se que as percepções são particulares de cada pessoa, desta maneira não há como a conclusão de uma degustação ser certa ou errada. E não é necessário ser um especialista para realizar uma degustação de cerveja.

Dicas para melhorar sua degustação

Horário

Não que tenha um melhor horário para tomar sua cerveja, mas se você quer uma melhor degustação, tomar a cerveja na parte da manhã pode ajudar, pois seus sentidos estarão menos “cansados”, principalmente seu nariz de aromas sentidos durante o dia. 

Também tenha um bom horário disponível, para degustar sua cerveja sem pressa.

Condição física

Estar bem, livre de estresse, e principalmente livre de resfriados que comprometam seu olfato e paladar é sempre importante.

Ambiente

Prefira locais arejados, que sejam livres de odores, cheiro de comida, cigarro e até perfume que possam influenciar na percepção dos aromas.

Copo correto

Cada estilo de cerveja tem um tipo de copo diferente. Seu tamanho, abertura da boca, e outras características influenciarão diretamente nas percepções de sabor. Se for escolher um, opte por copos e taças curingas, como a Taça Teku ou a Tulipa Belga.

Além disso, o mesmo deve estar devidamente limpo, e não apresentar resquícios de detergente ou gordura.

Temperatura ideal

Primeiramente, esqueça o “estupidamente gelada”, pois nessa temperatura você irá anestesiar suas papilas gustativas.

Cada estilo tem sua temperatura ideal. Quanto mais fria, menos aromas serão sentidos, ideal para cervejas leves e pouco aromáticas. Cervejas mais complexas e alcoólicas pedem temperaturas mais altas para ter seus sabores interessantes bem expostos. Em geral temos:

  • 2 a 4° – American Lagers, Pilsens, Helles
  • 4 a 6° – Witbier, Weiss, Lambic
  • 7 a 10° – Pale Ales, IPAs, Porter, Stout, Dubbel, Weizenbock, Tripel
  • 10 a 13° – Belgian Dark Strong Ale, Imperial Stout, Barley Wine, Doppelbock

Sequência

Caso você tenha mais de uma cerveja para degustar, inicie sempre das mais leves, menos alcoólicas e aromáticas, e deixe as mais fortes e complexas para o final. Lembre-se de utilizar um copo de água para limpar o paladar entre as degustações.

Exemplo de sequência: American Lager – Witbier – American Pale Ale – IPA – Doppelbock – Russian Imperial Stout

Estude

Estudar aqui não é só pegar artigos, apostilas, livros ou fazer um curso. Estudar cerveja também é beber cerveja, treinar sua degustação, fazer anotações dos seus sentidos. 

Aprender sobre o estilo que está sendo degustado, saber o que esperar daquela cerveja também irá ajudar a guiar sua degustação.

Harmonização (opcional)

Uma harmonização não necessariamente irá melhorar sua degustação, mas ela pode levar sua degustação a um outro patamar. Harmonizar consiste basicamente em unir o alimento à cerveja, formando uma perfeita combinação na sua boca.

O ideal é ingerir alimentos de acordo com a intensidade da sua cerveja. Para cervejas mais fortes é preferível o consumo de pratos intensos, já as cervejas mais leves é bom harmonizá-las com alimentos mais sutis. Esse equilíbrio de forças é um dos princípios da harmonização. Temos também o contraste, semelhança e complementação.

Para aprender mais sobre harmonizações é só clicar aqui.

Considerações Finais

Você observou como degustar uma cerveja é algo simples e prazeroso? Ficou com vontade de utilizar as técnicas na próxima vez que for consumir sua cerveja?

Degustar uma cerveja é apreciá-la com todos os nossos sentidos e saber valorizá-la em todas as suas características.Escolha o seu tipo de cerveja preferido e aproveite a experiência para compartilhar a degustação com outras pessoas, inclusive com a gente interagindo no nosso Facebook, Twitter, Instagram ou nos comentários!

👇 Gostou do conteúdo? Compartilhe o conhecimento!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

15 Comentários

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.