como ser cervejeiro

O que é ser cervejeiro caseiro? Nós te contamos

Quando estamos pensando em produzir cerveja ou até quando começamos sempre vem a pergunta à cabeça: o que é ser um cervejeiro? E além do que significa ser, também nos perguntamos sobre como ser.

Por isso separamos esse conteúdo que relata – por meio do olhar de um cervejeiro – sobre quais são as características fundamentais de um cervejeiro dedicado.

O que é ser cervejeiro caseiro?

A primeira coisa que me veio a mente nesse exercício de reflexão foi que lembrei dos caras que já eram cervejeiros na época, davam cursos, participavam da ACervA. Daquele monte de tipos de cervejas e os insumos… vários tipos de lúpulo, de malte e fermento. E aquele monte de equipamentos? Nossa, era muita coisa!

Mas aí, de cara, coloco um ponto inicial para definir as principais características do cervejeiro caseiro, portanto vamos lá!

Ter paixão pelo o que faz

Ser cervejeiro caseiro se trata de um hobby, claro, e não precisa ser mais do que isso. Mas o desafio por melhorar, inovar e inventar leva a pessoa a pesquisar, trocar experiências e ir evoluindo constantemente.

Dizem que, na vida, a gente morre aprendendo, e o cervejeiro caseiro vive isso intensamente. Precisamos ter cuidados mínimos, com detalhes que de fora parecem bobos mas que são fundamentais para a produção da cerveja.

Nunca perca a paciência

Esse é um segundo ponto interessante. Todos sabemos o quanto pode ser agoniante espera para ver o resultado final. Pense como é esperar por 3 semanas sem saber o que ia dar? Isso é uma tortura completa.

Porém quanto mais se produzir cerveja, vem o costume com o processo e os tempos, já deixando o produtor tranquilo e experiente. E essa tranquilidade é uma capacidade adquirida para lidar até com situações que nada tem a ver com cerveja. Muitas vezes temos apenas que esperar o tempo adequado, não há o que podemos fazer para apressar sem prejudicar o resultado final. E claro, é preciso paciência e tempo em busca do ótimo.

Busque sempre o perfeccionismo

Cervejeiros sempre vão em busca dos melhores insumos, os melhores equipamentos, as melhores técnicas. Dedicando tempo – muito tempo – para que no final tenha um resultado de alto nível.

E ao se fazer cerveja, a busca é pelo melhor resultado possível, sempre tentando cometer o menor número de erros na produção caseira. E esse cuidado acabamos deixando de lado em muitas outras coisas que fazemos, infelizmente.

Lembre-se do companheirismo

Para finalizar, o companheirismo.  Existem pessoas que nunca fizeram uma leva de cerveja sozinhos em vários anos de produção – e isso é mais do que comum.

Ter sempre alguém para beber com você e poder avaliar o resultado é uma ótima experiência, pois é disso que se trata o companheirismo, afinal, quantos amigos a cerveja não nos proporcionou? Amigo mesmo, não conhecidos.

O companheirismo entra, também, na troca de ideias, de receitas, de técnicas e descobertas. O cervejeiro caseiro quer sempre que o outro se desenvolva, que mais pessoas produzam e gosta de ouvir as críticas à sua produção com o intuito de melhorar.

E aqui, para não dizer que só falamos de flores, entra o maior defeito do cervejeiro caseiro e que muitas vezes mata algum ou muitos dos itens acima: a vaidade.

Por isso se você pretende se tornar um cervejeiro fique atento(a) a cada uma das dicas e faça com que sua experiência seja a melhor possível!

Esperamos que você tenha gostado do conteúdo, lembrando que estamos no Facebook, Twitter e também no Instagram compartilhando conteúdos como esse.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

22 Comentários

    Boa Bernardo, é isso aí mesmo !
    Acrescento no item companheirismo fazer cerveja com amigos e familiares, simplesmente vivi meus últimos dois anos e meio juntinho ao meu saudoso pai, fazendo cervejinhas caseiras.
    Vida longa aos cervejeiros caseiros !

      Com certeza, meu amigo. Aproxima todos, passando bons tempos juntos.

      grande abraço e saudações cervejeiras!

    Bernardo, excelente texto, como de costume! Eu disse uma vez para um camarada que começar a fazer Cervejas foi um divisor de águas em minha vida. Reafirmo isso e ratifico o que você disse, a PAIXÃO é o que move esse moinho (de maltes) e é também um dos itens essenciais para que essa Revolução, que vem acontecendo, continue. Grande abraço!

      Grande Nunes! Este é o ponto central do texto que escrevi para o HNB. O dia que mudou todos os outros dali para frente. Mudança incrível e inesperada!

    Muito bom o texto!

    Parabens,muito legal o texto.

    Pois é!
    O apaixonado, paciente e perfeccionista ainda consegue ser companheiro, amigo e ter tempo para escrever sobre suas pesquisas e experiencias.
    Parabéns, belas palavras!!!!

    Belo texto Bernardo, concordo plenamente!
    Um abração!

    Muito legal, Bernardo !

    Realmente, vc encontrou os ingredientes certos. Acho mesmo que a vaidade, assim como todos os outros, sendo bem dosada, também cai muito bem.

    Abração,

    Mauro.

      Claro. O desafio é a nossa emoção, né? Sem querer ser o melhor não há evolução. Mas saber dosar a vaidade é o mais difícil, e vejo que nem sempre isso é bem administrado, aí fica esquisito. A vaidade boa é a que te faz melhorar, e não se achar o melhor.

      abração!

    Bacana, Bernardo. Realmente a cerveja artesanal tem o dom de unir as pessoas, não só na produção, mas no compartilhamento do resultado final e também na degustação de novidades, mesmo que sejam de mercado. Afinal, que graça tem beber algo especial sem alguém especial para compartilhar?
    Espero começar minha produção em breve, estou ansioso.

    Abraço!

    Cara, aprendi a fazer cerveja a 3 meses, e leio oq tu escreveu a 3 anos atras, descrevendo oq sentia quando comecou a 6 anos. E eu comeco agora, ainda nao sei se sei fazer cerveja, pois fiz uma so e estou impaciente esperando a segunda fermentar. Mas tu resumiu tudo em otimas palavras, parabens! Espero q essa raca se multiplique. Abraco

    Muito bem definido o conceito cervejeiro não faço cerveja mas uma ceva sem amigos amigas não tem graça alguma pode ser a melhor do mundo não vai ter o gosto q tem tomando e conversando da vida seja negocio ou alheia é tudo di bommmm!

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.