Cervejas Caseiras Como fazer

Envase contra-pressão e priming: como engarrafar sua cerveja?

envase cerveja
Escrito por Lucas Magá

Agora que sua cerveja já fermentou e maturou chegamos na última etapa do processo da fabricação de cerveja artesanal, o envase!

Existem dois tipos de envase para os homebrews: o envase em que fará com priming e o envase por contra-pressão no qual carbonatará com CO2.

Então nesse post você saberá dos dois processos, as vantagens e desvantagens, equipamentos, tudo para poder envasar sua cerveja e finalmente poder degustar da mais gratificante das cervejas, a sua !

Tipos de envase

Como dito acima os homebrews tem a opção de envase de duas formas, envase com priming e por contra-pressão.

Ambas as formas de envasar não alteraram o sabor da sua cerveja, ambos carbonatarão sua cerveja, porém alguns fatores deverão ser levados em conta na hora da escolha do método de envase/carbonatação da sua cerveja.

O envase com priming é o tipo de envase no qual há a adição de uma solução com açúcar (ou açúcar invertido) para carbonatar sua cerveja, a carbonatação dentro da garrafa.

Já o envase por contra-pressão essa carbonatação se faz com CO2 dentro de um post-mix ou keg (carbonatação forçada), e a transferência da cerveja é feita pela diferença de pressão, do post-mix ou keg para garrafa.

Envase com priming

É preciso entender um pouco mais sobre cada processo e também suas vantagens e desvantagens para tomar a melhor decisão na hora de produzir sua cerveja, por isso vamos listar pontos fortes, fracos e equipamentos necessários para envase com priming.

Como fazer

Há duas condições para você fazer a transferência da cerveja para o balde:

1. Sua cerveja fermentou e maturou no mesmo balde e houve a lama de leveduras, o jeito é transferir para que a levedura não vá para enchedor.

2. Se você fermentou, tirou a lama mas fez o dry hopping sem a bag, terá que fazer a transferência de novo para que o lúpulo não vá para o enchedor e sua cerveja fique mais limpa.

Repare que ambos os casos a realização da transferência é necessária para que os resíduos não entupam o enchedor ou parem direto em sua cerveja. Para transferência pode se utilizar o sifão.

Uma dia para a transferência é colocar na mangueira da saída do sifão e conter esses resíduos, deixando sua cerveja mais límpida possível.

Após feito isso pode-se optar por adicionar priming para a quantidade de cerveja presente no balde ou então optar por adicionar o priming nas garrafas. Feito sua escolha conecte o enchedor na torneira do balde e abra a torneira.

Ira notar que devido a válvula presente no enchedor, será formada uma coluna de cerveja dentro dele e não sairá cerveja, isso ocorrerá por causa da válvula — que para liberação do líquido precisa uma leve pressão realizada por contato.

Esse contato será feito ao encostar a válvula ao fundo da garrafa já sanitizada, liberando o líquido sem espuma e enchendo até onde desejar. Para parar a liberação do líquido basta tirar de contato o enchedor com fundo da garrafa.

Caso optou por adicionar o priming na garrafa, basta adicionar as mL necessária e engarrafar.

Vantagens

Se você é um cervejeiro iniciante, que está fazendo seu primeiro envase, meu conselho da melhor forma de envase é com priming, pelos seguintes motivos:

1. É um envase mais simples, no qual precisará apenas calcular a quantidade açúcar/açúcar residual presente (ensinaremos a fazer), e depois é só adicionar ou no balde em que sua cerveja maturou, de preferência sem leveduras, ou nas garrafas;

2. Exige menos equipamentos, e equipamentos bem mais barato;

2. Tende a ter uma durabilidade, validade maior pois um dos responsáveis pela deterioração da sua é o oxigênio, porém quando envasado com priming esse oxigênio presente na garrafa é consumido pela leveduras presentes, tendendo a ter uma maior validade;

4. Praticidade do envase com priming é maior, ou seja, é menos trabalhoso do que envase por contra-pressão, onde que basta distribuir a cerveja nas garrafas, adicionar o priming e engarrafar.

Desvantagens

Mas como nem tudo é flores envase com priming possui suas desvantagens no qual deve ser consideradas como:

1. Tempo: após o envase é necessário aguardar algum tempo (normalmente 7-14 dias) para ocorrer a carbonatação dentro da garrafa para então poder apreciar sua cerveja. É um processo mais lento;

2. Com priming se gera resíduos dentro da garrafa estragando a limpidez da sua cerveja. Uma forma de contornar isso é gelar a garrafa em pé para o resíduo ficar no fundo da garrafa, porém o final da cerveja ficará com resíduo tendo que desperdiçar esse restante de cerveja para não ir resíduo ao copo;

3. As leveduras dentro da garrafa ela pode não só consumir o açúcar e gerar o gás existem outros processo em que ocorre com a levedura dentro da garrafa durante essa refermentação que pode gerar algumas substâncias que pode alterar o sabor da sua cerveja. Para um iniciante isso não é talvez uma desvantagem uma que vez essa mudança de sabor é muito pequena, imperceptível para maioria das pessoas.

Equipamentos necessários para envase com priming

equipamentos envase priming

  • Garrafas limpas e sanitizadas
  • Enchedor de garrafas com válvula (bottle filler)
  • Equipamento graduado para inserir o priming (seringa ou pipeta)
  • Tampinhas limpas e sanitizadas
  • Arrolhador

*Os equipamentos da foto estão na ordem com que foram mencionados na lista.

Envase por contra-pressão

Se você já realizava o envase com priming e ainda está na dúvida se deve evoluir seu processo de envase para o de contra-pressão, chegou a hora de saber as vantagens e desvantagens desse processo. E respondendo de antemão: vale a pena fazer essa mudança!

Vantagens

1. Envase por contra-pressão permite que se possa apreciar sua cerveja no mesmo dia em que foi envasada;

2. Dá a opção de servir sua cerveja de duas maneiras, com tap e com garrafa;

3. As cervejas normalmente são mais límpidas por não terem nenhum tipo de resíduo;

4. Maior controle sobre a carbonatação da sua cerveja. Você consegue ir provando e testando sua carbonatação da cerveja, além de poder aferir exatamente o quanto carbonatada você quer que sua cerveja fique;

5. Maior aproveitamento da sua cerveja.

Desde quando comecei a utilizar o envase de contra-pressão foi um marco no sentido pessoal. Para o cervejeiro que começa com priming e chega ao contra-pressão é nítido que seu esforço está valendo a pena.

Se trata de um sistema utilizado nas cervejarias (automatizados e em maior escala), mas quando adquirir os equipamentos e passei a utilizados percebi o tanto evolui e que estava no caminho certo para crescer mais ainda.

Desvantagens

Mas assim como envase com priming, o envase por contra-pressão tem suas desvantagens:

1. Investimento: os equipamentos necessários para se fazer o envase não são baratos;

2. Manuseio do equipamento: apesar de depois em que se aprende a manusear se torna simples, aprender será uma tarefa trabalhosa, em que haverá erros, perdas de cervejas, carbonatação não será a esperada etc. Faz parte errar para aprender, mas uma dica para evitar perdas de cervejas é realizar treinos utilizando água para só depois que adquirir confiança para envasar com cerveja.

Equipamentos necessários para envase de contra-pressão

 

equipamentos envase contra-pressão

  • Keg ou post-mix
  • Enchedor de contra-pressão
  • 3 mangueiras de mesmo tamanho das 3 saídas do enchedor de contra-pressão
  • Cilindro de CO2
  • Manômetro
  • Conector de saída de líquido e um conector de entrada de CO2 para post mix ou keg
    (Importante verificar a compatibilidade dos conectores tendo dois tipos: Ball lock e Pin lock)
  • Arrolhador
  • Tampinhas limpas e sanitizadas
  • Garrafas limpas e sanitizadas

*Os equipamentos da foto estão na ordem com que foram mencionados na lista.

O fim da fermentação

Antes do envase é necessário certificar-se de que a fermentação acabou, não vamos querer cometer esse erro comum e ter cervejas explodindo em sua geladeira.

Para isso basta medir a densidade da sua cerveja FG com densímetro e uma proveta (equipamentos mais comuns e baratos) por 3 dias seguidos. Se a densidade for a mesma nesses 3 dias é sinal que a fermentação acabou, iniciando assim o envase.

Caso haja uma variação da densidade é sinal que a fermentação não acabou e não se deve iniciar o envase, pois as leveduras ainda muito ativas podem consumir o açúcar residual e o priming adicionado, gerando muito gás e pressão.

Como calcular o priming

Bom, antes de começarmos a calcular a quantidade utilizada do priming, é importante salientar que cada estilo de cerveja tem sua carbonatação variando de baixa, média e alta.

Você pode encontrar tabelas ou uma calculadoras online que facilitam o seu trabalho.

CARLOS NA NET TEM TABELAS COM A GRAMATURA POR LITRO, DE CADA ESTILO, EU NÃO COLOQUEI POR N SABER ESSES NEGOCIOS DE DIREITO AUTORAL ETC. SE COLOCAR SERIA TOP.

Sabendo qual é a carbonatação do estilo de cerveja vamos ao exemplo:

Supondo que tenha 20L de uma APA (cerveja de carbonatação alta) utilizaremos 6.5 g/L de açúcar. Vale sempre lembrar que estamos utilizando como exemplo 20L finais de cerveja, contando as perdas com trocas de baldes e do processo. Atente-se a isso, pois se ao término da sua brassagem teve 20 L possivelmente nessa etapa não terá mais.

Depois disso adicionaremos os 120gr de açúcar (20 x 6,5) numa panela com cerca de 3 vezes mais de água, ou seja, 360ml. Após essa etapa leve ao fogo até ferver.

Finalizando basta adicionar no balde ou se preferir distribua igualmente entre as garrafas que serão envasadas.

Limpeza das garrafas

A sanitização das garrafas é um passo muito importante.

Para essa função lave a garrafa com uma escova de garrafa, assim você irá retirar possíveis resíduos presente em garrafas reutilizadas.

Depois lavá-la, é extremamente recomendado usar sanitizante para terminar a higienização, podendo usar o lavador/sanitizador vinator ou então borrifar o sanitizante de modo que ele entre em contato com toda garrafa.

Feito isso, estamos quase acabando!

É só mantê-las, se possível, em algum lugar refrigerado para diminuir as chances de contaminação da garrafa e pronto, estarão limpas e prontas para sua utilização.

E agora que você aprendeu sobre o processo de engarrafamento, que tal checar nossa lista de erros básicos que produtores cometem e ter certeza de que está indo no caminho certo?

Até a próxima!

 

aprender a fazer cerveja em casaPowered by Rock Convert

Sobre o Autor

Lucas Magá

Mestre Cervejeiro da cervejaria Sileno, membro no Grupo de Estudos e Pesquisa em Cerveja Artesanal e da Acerva de Minas Gerais, atualmente desenvolvendo pesquisa em cervejas inovadoras para o mercado, graduando em Bacharelado em Biosistemas pela UFSJ.

3 Comentários