Como fazer uma receita de Brown Porter

Seguindo a idéia de não dar o peixe mas ensinar a pescar, desta vez o tema será como produzir uma receita de Brown Porter. De cara, existem diversos subestilos dentro deste antigo estilo inglês. Além da Brown, temos Imperial, robust e Baltic Porter, cada uma com suas peculiaridades. A Brown seria a mais básica e antiga deste estilo, sendo a primeira cerveja a ser produzida em escala industrial que se tem registro, durante a Revolução Industrial, na Inglaterra.

Esquecido e praticamente extindo durante meados do século XX, com o renascimento da variedade cervejeira pelo mundo elas foram resgatadas e se popularizaram novamente. Mas, chega de história e vamos falar sobre as características do estilos. Segundo o BJCP, o estilo se define assim:

 

IBUs:    18 – 35

SRM: 20–30OG:

1,040 – 1,052 FG:

1,008 – 1,014

ABV: 4–5,4%

 

Apesar de escuras, é preciso de cara diferenciar ela das Stouts. Assim, a Porter tem uma sensação de torrado menor do que as Stouts, com um caramelo mais aparente. Em termos de cor, ela deve ser escura, sim, mas com um toque mais amarronzado, sem ser um preto tão fechado. Desta forma, os maltes que formam esta cerveja são: base, que pode ser pilsen ou pale ale; algum ou alguns caramelos ou cristal; e maltes torrados, preferencialmente Chocolate e Carafa I. É possível usar os maltes mais torrados, como Carafa III, mas com cuidado para não sobressair o torrado. Usar diversos tipos de maltes caramelados poder ser interessante dando mais complexidade, podendo ser eles cristal, carared, carahell e até mesmo mais escuros, como caraaroma e brown. Também é possível usar cevada torrada, mas ela é mais característica das Stouts. Outra opção, mais dentro do estilo porter, é utilizar malte defumado, algo entre 5% e 10% pode dar um bom toque.

A brassagem para este estilo deve acontecer com destaque para temperaturas mais altas, de forma à cerveja ter o corpo característico de uma Porter. O ideal é trabalhar entre 67 e 68 graus, por cerca de 60 minutos. Pode-se ainda trabalhar por algum tempo em temperaturas mais altas, fazendo uma rampa terminando em 71 graus, por exemplo.

 

A lupulagem deve ser feita com os lúpulos ingleses, como as variações de Goldings e o Fuggles. Pode ser usado lúpulo de aroma, mas não é necessário para o estilo. Algumas versões mais modernas utilizam lúpulo amaricanos, como Cascade e Amarillo, mas fogem ao estilo mais tradicional. Um cálculo amargor na casa dos 30 IBUs pode ser um bom parâmetro. A fervura pode ser de 60 a 90 minutos, sendo interessante a fervura mais longa para maior caramelização do mosto.

 

O fermento escolhido deve ser inglês, como os secos S-04 ou o Notthingham. A maturação pode ser feita em temperaturas variadas, dependendo das características desejadas. Para um frutado mais pronunciado vindo do fermento, escolha por temperaturas mais altas. É possível fazer dry hopping de lúpulos ingleses aromáticos na maturação.

 

Fonte: Designing Great Beer – Ray Daniels

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

11 Comentários

    Bernardo, excelente texto com boas dicas… Mas registro aqui uma experiência que tive ao fazer uma Brown Porter: usei uma diversidade grande de maltes especiais para obter um caramelo mais evidente que o torrado, fiz a mostura na casa dos 64 graus, mas ainda assim a Cerveja ficou com um corpo muito alto. Então fica a dica da prática, dependendo da quantidade de maltes especiais, melhor fazer a mostura com uma temperatura mais baixa.
    Abraços!

      Boa Nunes! Bastante pertinente sua colocação, tudo pode mudar de acordo com a receita. Essas são apenas dicas básicas e gerais sobre o estilo.

      Aconteceu comigo. FG ficou em 1026.

    Ola,
    Camaradas
    to aprendendo a fazer cerveja a um ano. Como vcs devem saber, uma pequena alteracao nas quantidades/qualidades dos ingredientes basicos, lupulos, maltes, fermento e agua, podem alterar em muito o sabor da cerveja.

    Entao, minha dica seria inserir numa receita, alem das qualidades, as quantidades.

    Espero poder contribuir com a Porter ou Stout, sei la, que vou fazer hoje, apos ler essas dicas.

    abs, Lima

      Lima, este post visa justamente ensinar a pescar, e não dar o peixe hehehe

      Mas tem várias receitas publicadas no site, na categoria cervejas caseiras/receitas

      abs

    Valeu pelas dicas,
    to lendo.
    eheheh
    abs

    Farei uma porter com receita de minha autoria essa semana. Dependendo como sair, posto aqui o passo a passo com tudo mastigadinho (mas digo pra voces, é muito mais legal fazer a propria receita)

      Nem vou pOstar, ninguem se interessou hahahaha

        Posta pra gente ver o resultado

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.