Cervejas Caseiras Receitas

Como fazer uma Brown Porter

Escrito por Carlos Lara

Porter é um estilo típico inglês, e já foi o mais popular no país há alguns séculos, sendo a bebida preferida dos estivadores. A Brown Porter se difere da Robust por ser menos amarga e/ou tostada. A cor vai de marrom claro a escura e normalmente é turva. Vamos ver as características que definem o estilo pelo BJCP?

 

OG: 1040-1052

FG: 1008-1014

IBU: 18-35

SRM: 20-30

ABV: 4-5,4%

 

Então, temos uma cerveja com baixo teor alcóolico e equilibradas, que tem como destaque maior o malte, com sabores discretos de caramelo e tostado, com chocolate mais evidente que o café. O corpo é médio-baixo a baixo e a carbonatação também não deve ser alta. É um ótimo estilo para os iniciantes, por trabalhar com uma OG baixa e ter um processo de produção bem simples.

porter

 

Qual malte escolher?

 

Podemos começar pensando no malte base, que deve compor algo em torno de 80% de sua receita. O ideal é utilizar maltes tradicionais ingleses, então o pale ale seria a melhor opção. Mas, por aqui é mais fácil e barato, muitas das vezes, trabalhar com o pilsen. Então, ele pode ser utilizado sem medo, e uma dica é combinar pilsen com munich ou vienna para compor a cota de malte base da sua receita. Para quem gosta e não está preocupado com concursos, um pouco de malte defumado pode cair muito bem.

 

Fora isso, para obter esta característica de caramelo, biscoito, nozes e toffee que pede o estilo, é interessante apostar numa variedade maltes caramelos, como carared, caramunich, caraaroma, biscuit, Special B. Este maltes devem compor entre 10 e 15% de sua receita. Para uma cerveja mais seca e atenuada, não utilize uma proporção muito grande destes maltes, ou então adicione um pouquinho de açúcar durante a fervura e menos malte base.

 

E para levar o tostado para a cerveja, é aconselhável usar um pouco de malte escuros, algo como 5 a 10%. Mas, o ideal é usar as versões mais claras dos tostados, como Carafa I ou Chocolate. Maltes muito torrados, como Carafa III, ou até mesmo a cevada torrada não são boa pedidas para este estilo.

 

Qual lúpulo usar?

 

Nesta cerveja o lúpulo não é o protagonista. Então, escolha um lúpulo para amargor que te dê o IBU desejado, sem que o amargor se destaque muito. E, caso queira usar algo para aroma (que não deve ser muito), invista na família de lúpulos usados pelos ingleses, com destaque para a os Goldings. Algo como um grama por litro no fim da fervura pode adicionar um toque aromático à cerveja, mas mais do que isso já pode descaracterizar o estilo. As versões Robust, principalmente feitas nos EUA, podem receber doses bastante generosas de lúpulos aromáticos ingleses e/ou americanos, e até dry hopping.

 

Vamos para a produção?

 

Você pode usar o processo típico inglês de infusão simples. Para dar um toque mais marcante do malte, é aconselhável trabalhar na faixa entre 66-68 graus por cerca de 90 minutos. Uma segunda opção é trabalhar uma parte da brassagem na casa dos 66 graus e depois subir para 71, em busca de um pouco mais de corpo para esta cerveja.

 

Após 70-90 minutos de fervura, o ideal é inocular um fermento típico da região. Então, S-04 ou Nothingham são boas pedidas, assim como qualquer similar de outra empresa, seja na versão líquida ou seca. A fermentação deve durar de 5 a 7 dias, e pode ser feita em temperatura na faixa dos 17 graus. A maturação, abaixo dos 10 graus, pode durar a partir de 15 dias.

aprender a fazer cerveja em casaPowered by Rock Convert

Sobre o Autor

Carlos Lara

Marketeiro e Sommelier de Cerveja. Criei a minha paixão pela cerveja há um tempo, principalmente vendo jogos de futebol e hoje escrevo conteúdos sobre diversos assuntos nas horas vagas.

13 Comentários

Comentar