Artigos

Cerveja artesanal: tudo que você precisa saber a respeito

cerveja artesanal
Escrito por Carlos Lara

As cervejas artesanais cada vez mais vêm conquistando o mercado, atualmente muitos são os bares que reservam espaços específicos para este tipo de cerveja para quem gosta de apreciar novos e exclusivos sabores da bebida.

Cada vez mais as pessoas estão descobrindo diferentes tipos de cerveja e se acostumando com termos como Lager, Ale, Lambic, etc.

Hoje, no Brasil, a maioria das cervejas que são feitas com um processo especial e mais cuidadoso acabam sendo chamadas de cervejas artesanais, na prática, o correto seria chamar essas cervejas de especiais.

Nesse artigo vamos desmistificar o conceito de cerveja artesanal e trazer muitas informações a respeito desse tipo especial de cerveja, acompanhe!

Afinal, o que é a cerveja artesanal?

As cervejas artesanais advém de um processo artesanal mais cuidadoso em sua produção, enquanto as cervejas industrializadas tem por objetivo a produção em grande escala com grandes maquinários.

Em menor escala, a cerveja artesanal é desenvolvida focada em qualidade e diferenciação, o que requer mais cuidado em sua produção que é feita de forma minuciosa acompanhada e controlado pelos produtores.

Observando cada etapa, o mestre cervejeiro, analisa ao final de sua produção se o resultado obtido corresponde as suas expectativas.

Além disso, seu processo de produção possui maior lentidão, devido os produtores respeitarem todo o período de fermentação e maturação da cerveja, sem adição de produtos químicos para acelerá-los.

A diferença entre a cerveja ‘normal’ e a artesanal

Existem muitas diferenças entre as duas, a cerveja ‘normal’ é a cerveja industrializada, aquelas cervejas populares conhecidas no mercado, enquanto a as cervejas produzidas com um trabalho manual e diferentes ingredientes em seu processo tratam-se das cervejas artesanais.

Cervejas industrializadas utilizam em média 60% de malte e os 40% restante corresponde à outros tipos de cereais para que o custo de produção seja reduzido.

Logo, a cerveja artesanal é produzida com maior quantidade de malte, e também leva em conta particularidades de sabor e aroma que são preferência dos consumidores.

Além disso, podemos diferenciá-las na questão de que as cervejas artesanais priorizam qualidade, enquanto que as industrializadas buscam quantidade. As industriais possui um tempo de maturação mais curto e rápido e as cervejas artesanais levam períodos maiores para sua produção.

Com essas informações é possível concluir o porquê as cervejas artesanais tem um custo mais elevado do que as industrializadas.

Pelo mundo há mais de 120 tipos de cervejas artesanais. São divididas em três grandes grupos:

  • Cervejas ales: uma cerveja muito encorpada, a mais complexa dentre os três, neste tipo as mais populares são stout, english pale ale, trapista;
  • Lagers: são as mais comuns no mundo, é uma cerveja mais leve com relação aos outros tipos. Com Pilsen, schwarbier e American Lager sendo as mais populares e
  • Lambics: com sabores únicos e processos de fabricação demorado estão entre as mais caras do mundo.

Os rótulos nas cervejas artesanais tem motivos comerciais, econômicos e também visuais.

Os rótulos devem possuir informações, com relação os ingredientes, local de fabricação, responsável pela produção, fabricação, validade e outras informações que exige a legislação.

Também é parte essencial para a venda do produto, rótulos são responsáveis por induzir o cliente a comprar o produto.

As cervejas artesanais podem ser produzidas para serem consumidas em microcervejarias, que são pequenas cervejarias com instalações que oferece o consumo no local e até o envasamento para consumo em outros lugares.

Processo de produção da cerveja artesanal

A cerveja necessita de alguns ingredientes para sua produção: são eles o malte, lúpulo, fermentadores e água.

A cevada, por exemplo, é um grão semelhante ao trigo, o mesmo passa por um processo de conversão em malte antes de sua utilização.

A primeira etapa para a produção de uma cerveja de qualidade é a malteação, pois é neste momento em que se define o tipo de cerveja que será produzida.

Esse processo acontece após a colheita da cevada do campo, que é levada as maltearias. Neste espaço ela é induzida a iniciar uma geminação, após um período determinado, essa geminação é interrompida por um aquecimento por estufa.

Após o aquecimento é encaminhada a torrefação, podendo passar por uma torrefação mais branda ou até mais forte. Isso origina diferentes tipos de cevada maltada, com diferentes colorações, o que interfere na qualidade da cerveja.

O lúpulo trata-se de uma planta, que é o ingrediente responsável por dar sabor à cerveja, principalmente o amargor. Cada lúpulo possui sabores e características próprias. Portanto a quantidade utilizada influenciará no resultado final, ajudando sobretudo na conservação da cerveja.

A levedura é um organismo responsável pela produção do dióxido de carbono e do álcool da cerveja. As leveduras possuem diferentes tipos, são encarregados do processo de fermentação para a bebida, podendo oferecer sabores mais ou menos marcantes.

Para se produzir uma cerveja artesanal, inicialmente deve ser definida qual a receita da cerveja que busca ser produzida com relação ao teor alcoólico, cor e amargor por exemplo.

Processo de Moagem

A moagem é o primeiro passo para produção de cerveja artesanal, nesta etapa a casca dos grãos são quebrados e o amido será exposto preservando a casca.

O amido exposto durante o processo de mosturação, fará as enzimas atuarem em cima do grão de amido, quebrando-o em diferentes tipos de cadeia, fermentescíveis ou não.

A moagem bem executada resulta em uma boa filtrabilidade e clarificação do mosto, como também menos adstringência dentro do mosto, pois a adstringência origina-se da casca.

Processo de Brassagem

Seguindo o processo de produção, após a moagem e exposição do amido, é feita a brassagem, favorecendo a atuação de enzimas na quebra de açúcares não fermentáveis em fermentáveis. Esse processo de brassagem possui quatro etapas: mosturação, filtração, fervura e resfriamento.

A Mosturação

A mosturação pode durar de 60 a 90 minutos, o malte moído é misturado com água aquecida com diferentes temperaturas controladas, pois nesta etapa o malte é hidratado enquanto que as enzimas são ativadas, favorecendo a conversão de amido em açúcares fermentáveis.

A Filtragem

Na filtração é separada a parte da solução açucarada do bagaço e também as impurezas do mosto, por meio de um processo de clarificação ou recirculação. Esta fase, apesar de lenta é de extrema importância para a qualidade do produto final.

Quando o mosto se encontrar mais límpido ocorre a etapa de lavagem para que os açúcares residuais do malte sejam extraídos através de altas temperaturas, e em seguida o mosto é colocado na tina de fervura.

A Fervura

A intensa fervura, tem por objetivo esterilizar o mosto, isomerizar o lúpulo, que é quando o lúpulo libera suas enzimas e óleos essenciais que dão sabores diferenciados as cervejas, também é importante para acertar a densidade inicial da cerveja e evaporar compostos indesejáveis da mistura.

Há os lúpulos que conferem amargor, e os que conferem aroma, sua ordem de adição à mistura parte da opção de cada cervejeiro, normalmente os lúpulos de amargos são adicionados 60 minutos antes do termino da fervura enquanto que os lúpulos aromáticos são acrescidos nos 15 minutos finais a fervura.

O Resfriamento

O resfriamento é uma etapa importante para que o mosto atinja a temperatura ideal para adição de levedura e evitar a contaminação do mosto. A temperatura escolhida dependerá do tipo de fermentação desejada

Processo de Fermentação

Podendo durar de 5 a 10 dias, nesta etapa inicia a inoculação de leveduras, o consumo de açúcares fermentáveis e a produção do gás carbônico, álcool e alguns ácidos orgânicos.

Neste procedimento é necessário que haja um controle da temperatura para que não afete no resultado final da cerveja.

Processo de Maturação

Etapa essencial para que a cerveja atinja seu equilíbrio, a maturação resulta no amadurecimento dos compostos responsáveis pelo aroma, sabor e formação de ésteres, pode durar em média 10 dias.

Processo do Envase

Este é o momento do engarrafamento da cerveja, precisa ser bem realizado para evitar contato da cerveja com oxigênio do ar, pois isso pode provocar alterações no paladar, turbidez e coloração da bebida.

Conclusão

Com este artigo você pôde perceber como a cerveja artesanal apesar de possuir um simples processo de produção, necessita de muito cuidado, atenção e também dedicação do produtor.

Apesar do seu custo elevado, cada gole valerá o dinheiro gasto pois essas cervejas são produzidas a partir de um processo com muito mais cuidado e também ajudam muito a cadeia local de produção.

Inicialmente pode ser um hobby de muitas pessoas, mas ao longo do tempo também pode tomar outras proporções – como vemos o mercado hoje cheio de opções de boas cervejas feitas por microcervejarias.

Agora bateu aquela vontade de tentar fazer sua própria cerveja artesanal ou até mesmo degustar novos sabores?

Então não deixe de conferir um pouco mais sobre o curso de produção de cerveja e nos diga o que achou, um abraço!

aprender a fazer cerveja em casaPowered by Rock Convert

Sobre o Autor

Carlos Lara

Marketeiro e Sommelier de Cerveja. Criei a minha paixão pela cerveja há um tempo, principalmente vendo jogos de futebol e hoje escrevo conteúdos sobre diversos assuntos nas horas vagas.

21 Comentários

Comentar