Cerveja e pão

Cerveja e pães: como harmonizar e por onde começar?

O titulo desse conteúdo talvez possa soar um pouco estranho, mas só talvez, ok? Acredito que é bem difícil você encontrar por ai uma pessoa que bebe cerveja e come pão, seja no café da manhã ou em uma mesa de bar.

Mas sabemos que o pão é um elemento “presente” na cultura cervejeira, não só pela característica que o malte pode trazer para a cerveja, como notas de pães em cervejas de coloração âmbar, mas também na cultura alemã, com o tradicional frühstück — aquele café da manhã regrado de comida e que é acompanhado por cerveja.

Portanto se você quer experimentar uma cerveja e incluir pães na degustação, queremos explicar um pouco sobre como maximizar sua experiência e também as semelhanças entre esses dois elementos.

A cerveja é o pão líquido

Essa é uma expressão popular, que justamente faz essa comparação entre a cerveja e o pão, por serem feitos ambos de cereais — o malte e trigo — compartilharem o aroma em certos estilos de cerveja, aqueles com uma maior concentração de malte, e por fim, causarem a sensação de estar cheio ao fim da consumação.

Essa associação vem de muito tempo, como na antiguidade quando a própria cerveja era tida como m alimento, porque servida para alegrar e saciar a população, sensação causa especificamente pelas propriedades do malte, lúpulo e álcool é claro.

A história não termina por ai, é comprovado que a religião também contribuiu com esse rótulo, pois quando os monges que produzam cervejas estavam em jejum durante a quaresma, era estreitamente proibido o consumo de alimentos.

Como forma de se manterem nutridos e com seu estoque de energia renovado, a cerveja era produzida e assim contribuía para a rotina em monastérios e mosteiros, pois contribui com carboidratos e nutrientes e como já mencionamos antes, esse é um dos motivos que faz com que a cerveja engorde.

E foi assim que os monges desenvolveram a habilidade de produção de cerveja, tornando-se populares pela qualidade das cervejas belgas.

Agora mostraremos alguns conceitos essenciais para harmonizar cervejas e pães.

1. Conheça as características das cervejas

A primeira dica trata-se de aprender quais são as características das cervejas para entender como combiná-las não somente com pães, mas com qualquer alimento. Entre as principais delas, podemos citar:

  • A família em que se enquadram (Larger, Ale ou Lambic), pois essa categoria vai determinar o nível de fermentação e, consequentemente, a leveza da bebida;
  • O estilo que elas têm (Bock, Porter, Stout, Pilsen etc.), pois essa subcategoria vai indicar os ingredientes usados na produção, a intensidade sabor, o teor do aroma e o nível de amargor.

Portanto fique atento a esses fatos e opte por cervejas Lagers, que representam principalmente as escolas alemã, tcheca e americana. Mas se você ainda não conhece muito sobre as famílias e estilos de cerveja, recomendo a leitura desse artigo completo sobre os principais estilos de cervejas.

2. Adote os princípios da harmonização

Outra dica útil é adotar os princípios da harmonização na hora de combinar os diferentes tipos de pães (bisnaga, baguete, croissant, ciabatta, australiano, sírio etc.) com uma ou mais cervejas. Ao todo, são três princípios que nunca devem ser ignorados por você:

  • Harmonização por semelhança: quando os dois elementos compartilham de um mesmo sabor (salgado, doce, amargo e azedo) e, assim, criam uma sensação de continuidade quando consumido. Na prática você pode experimentar uma ciabatta com uma cerveja de trigo do estilo Weiss, pois os aromas de trigo e fermento da cerveja darão continuidade ao sabor do pão. Ou uma Weiss com bolo de banana.
  • Harmonização por contraste: quando os sabores contrastam entre si, mas sem perder o equilíbrio, nesse caso a cerveja amarga e pão doce são um bom exemplo, e para essa harmonização vale a pena experimentar uma focaccia com molho pesto junto de uma cerveja Witbier pois sua acidez e e o pão seco criarão o contraste ao molho pesto e dando uma sensação de paladar limpo.
  • Harmonização por corte: nesse caso o que buscamos são cervejas e alimentos que possuem características intensas mas que são “negativas” entre elas, ou seja, os elementos se anulam. E podemos citar de exemplo uma IPA que apresenta amargor e teor alcoólico elevados, e pratos gordurosos, como um hambúrguer de carne bovina ou costelas.

Agora que explicamos a você o conceito da degustação, sinta-se livre para brincar com isso e experimentar novas possibilidades e receitas.

3. Atente-se aos seus sentidos

Além do que já foi dito, é essencial estar atento ao que os seus demais sentidos captam — uma tarefa relativamente simples, mas que pode exigir mais de quem está acostumado a depender, basicamente, só da visão.

Isso porque eles serão os seus maiores aliados para garantir que a mistura de gostos e fragrâncias, de fato, sejam um acerto. Portanto, treine o olfato para identificar diferentes cheiros (como os florais, os herbáceos e os cítricos) e o paladar para detectar quando a bebida:

  • for excessivamente doce ou salgada, o que pode limitar as harmonizações;
  • ou tiver o teor alcoólico muito alto, o que pode dificultar a apreciação de qualquer alimento.

4. Realize testes de harmonização em casa

Por fim, mas não menos importante, realize alguns testes de harmonização de cerveja e pães em casa. Afinal de contas, praticar é a forma mais simples de ter um maior domínio sobre o assunto e aumentar o seu leque de receitas.

Eu particularmente conheço várias pessoas que adoram criar pratos e harmonizar em casa, realizando descobertas incríveis e compartilhando com todos em sua rede social.

Faça questão de experimentar diferentes tipos de temperos (orégano, tomilho, salsa etc.) e recheios, como queijos (prato, roquefort, provolone etc.) e frios (salame, presunto, peito de peru etc.) para testar as combinações dos sabores e as variações aromáticas.

Aproveite e se aprofunde no assunto lendo sobre harmonização de cerveja e explorando o universo. Temos dicas de livros sobre cerveja que podem ajudar você a entender mais sobre o assunto, é só acessar nossa biblioteca e se perder na leitura!

👇 Gostou do conteúdo? Compartilhe o conhecimento!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.