Cerveja e vinho

Cerveja e vinho: uma comparação entre as duas bebidas

O mundo das cervejas e o mundo dos vinhos vêm evoluindo em trajetórias paralelas e contam com entusiastas que raramente se conversam.

cerveja vs vinhoÉ interessante observar como aqueles que se interessam muito por uma delas têm resistência em aceitar a outra. O importante é ter a consciência de que não é necessário gostar ou se aprofundar tanto nos temas que não são nossos favoritos, mas entender e respeitar para não dar mancada.

Talvez essa rejeição parta por motivos históricos, de associação do vinho como uma bebida nobre, essa sempre ostentou uma maior cerimônia e valorização que a cerveja.

O mercado de vinhos é muito mais consolidado e menos dinâmico que o da cerveja.

Como a cerveja que sempre foi uma bebida de massa e mais popular no Brasil do que o vinho, ela é associada a menores preços e acessibilidade.

A partir de 2010 ela veio  ocupando, cada vez mais, seu justo espaço de “bebida sofisticada” e tendo aderência no mercado, mas ainda é curioso observar que existe tanto desconhecimento dos dois lados.

Para introduzir a pauta e ajudar a conhecer um pouco das semelhanças e diferenças entre os dois universos, segue um pequeno paralelo entre as duas bebidas, vale lembrar que você pode complementar com toda a informação que você encontra na internet.

vinho e cerveja

É curioso observar que nas cervejas populares, a falta de sabor forte é um item valorizado pelo mercado de massa enquanto nos vinhos é o contrário. Começa-se experimentando um potente tinto, normalmente sul americano, com sabor que rasga e depois se experimentam outros estilos, uvas e regiões.

Nos dois grupos também existem aqueles que são “torcedores de rótulos” e falam que X cerveja ou Y vinho é “melhor do mundo” ou “incomparável”.

Uma coisa observável em confrarias de cervejas e vinhos é que CADA UM TEM SEU GOSTO. É possível odiar a cerveja favorita do seu amigo e vice versa — mas ninguém está errado!

Nem sempre o mais caro é melhor.

Um bom indicador se um vinho é bom é observar se a garrafa esvaziou. Independente do número de pessoas bebendo, se o líquido sumiu da garrafa e das taças, é indício de um bom vinho. Já não observo o mesmo nas cervejas.

Muita gente toma não recusa a cerveja mesmo que não seja tão boa. Não é fácil medir o sucesso de uma cerveja com uma única garrafa ou rodada.

Claro que as diferenças e semelhanças se estendem por muito, muito mais. Essa foi a ponta do iceberg.

São dois universos extremamente vastos e ricos que se conectam em mais momentos do que costumamos reconhecer, como por exemplo na harmonização, por isso faremos um paralelo entre cerveja e vinho harmonizando o mesmo prato, ok?

Cerveja x vinho: um duelo de harmonizações

Com a popularização das cervejas “especiais”, começou a surgir uma rivalidade até hoje adormecida no mundo gourmet: a disputa entre as bebidas fermentadas.

Claro que ainda não vimos a entrada das cidras, sakês e outros fermentados pra valer na disputa, mas a longa tradição do vinho e a recente popularização das boas cervejas trouxe a tona essa questão: qual a melhor bebida? qual é mais elegante? qual o melhor presente?

Pessoalmente acho que as duas são totalmente versáteis e a escolha vai depender mesmo do humor na hora de consumir, por isso resolvemos juntar as paixões por comida e bebida para entender como seria a harmonização da cerveja e vinho com o mesmo prato.

Vejamos como foi!

1. Salada de endívias com camarão ao molho de maracujá

Cerveja: Amazon Witte Taperebá (Brasil)

Vinho: Falernia Sauvignon Blanc 2011 (Chile)

A salada de entrada apresentou um sabor leve, mas presente. A escolha da cerveja teve foi o estilo Witbier da Amazon Beer com o Taperebá que trouxe um tempero inusitado à mesa.

A opinião geral, entretanto, foi que sabor cítrico e os aromas mais potentes do vinho trouxeram mais personalidade à combinação, deixando a cerveja para trás. Ponto para o vinho.

2. Salmão em papilote com ervas frescas.

Cerveja: Wäls Saison de Caipira (Brasil)

Vinho: Domaine St Hilaire Rosé 2010 (França)

Um peixe com grande personalidade e temperado com ervas elegantes. Foi bem acompanhado pela criação da Wäls com o Garret Oliver, a cerveja Saison feita com cana de açúcar.Os sabores se complementaram, ficou realmente delicioso.

Quanto ao vinho, a intenção foi boa, mas infelizmente o peixe ressaltou o álcool e não agradou muito. Mesmo com poucos taninos, o rosé não foi a melhor opção. Ponto para a cerveja.

3. Tortilla Espanhola de batatas com Parma

Cerveja: Amazon Red Ale Pripioca (Brasil)

Vinho: Toro Loco Joven Tempranillo 2011 (Espanha)

Até certo ponto uma injustiça com a cerveja: apresentar um prato espanhol com um vinho espanhol. A Red Ale da Amazon talvez tenha ousado demais com a Priprioca e acabou sobrando em muitos copos.

Sinceramente, uma boa combinação com a tortilla: o prato amenizou o sabor rasgante da cerveja.

Para a maioria, no entanto, o famoso vinho espanhol, vencedor de concursos internacionais, apresentou mesmo a melhor combinação com seu aroma e frescor. Não foi unânime, mas foi ponto para o vinho.

4. Costelinha ao molho defumado

Cerveja: Aecht Schlenkerla Rauchbier Märzen (Alemanha)

Vinho: Filgueira Tannat Reserva 2007 (Uruguai)

Hora da vingança da cerveja! Um prato feito com a própria cerveja ao estilo de Bamberg só podia ter a melhor companhia em uma cerveja do mesmo estilo.

O vinho apresentado também foi de artilharia pesada: a uva Tannat é famosa por sua potência e taninos que acompanham bem os sabores de carnes mais fortes.

Houve uma opinião a favor do vinho, que complementou o sabor do molho, mas a maioria dos participantes preferiu a cerveja.

Uma opinião justa: ficou sensacional. Alguns que nunca haviam experimentado uma rauchbier acharam o aroma de bacon muito inusitado, mas concordaram que combinava muito bem com a comida.

5. Colherzinha de brigadeiro gourmet com split de chocolate belga

Cerveja: Taberna Dry Stout (Brasil)

Vinho: Porto Dow’s Fine Tawny (Portugal)

O desempate ficou para a sobremesa. Surpreendendo também muitos participantes que não viam como algo além de água podia acompanhar chocolates intensos. Essa foi a disputa mais acirrada de todas.

As duas combinações foram surpreendentes.

O vinho, que tem um sabor, para alguns, enjoativo se tomado sozinho, criou um terceiro sabor delicioso ao combinar com o chocolate. A cerveja ajudou a ressaltar o doce e amargo do chocolate gourmet, potencializando seu sabor.

No fim, por uma margem apertada, os participantes votaram na cerveja.

Com a cabeça leve e a barriga cheia, podemos dizer que esse evento não acontece todos os dias e recomendamos que vocês façam o mesmo com amigos!

E o resultado demonstra que a cerveja, não necessariamente loira nem gelada, é sim uma ótima bebida para acompanhar pratos sofisticados com grande versatilidade.

aprender a fazer cerveja em casaPowered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

1 Comentário

    artigo pertinente, parabéns pelo texto

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.