Degustação Cervejas do Estilo Stout

Coleção de livros na Amazon

O estilo escolhido desta vez foi o Stout, que não conseguimos tanta variedade como na degustação de cervejas de Trigo, mas conseguimos os mais marcantes no mercado: 2 irlandesas e 2 brasileiras. A Stout foi criada como uma subcategia da Porter, sendo mais forte que o padrão. Porém, como ambas tem diversas variações, como Robust, Dry, Sweet, Baltic e por aí vai, o que se nota é que em geral as stouts um pouco mais amargas e secas que as porters. E apresentam uma maior carbonatação também, principamente as Irish Stout, alvo desta degustação.

Como resultado, em primeiro lugar classificamos a cerveja Guinness Draught, realmente ela é a cara e alma do estilo irlandês. Cerveja muito balanceada, seca de drinkability fantástica e aparência perfeita quando se posta num pint transparente e observada mudança de estado espumoso à líquido. Aroma e paladar de café e chocolate, porém na medida certa do estilo. Alguns degustadores, porém, reclamaram muito dela parecer aguada. O marcante sabor vem e desaparece com bastante velocidade, deixando essa sensação.

Em segundo ficou a Murphy’s Draught Irish Stout, bem enquadrada cerveja do estilo também, porém com menos aromas e sabores que a Guinness. Conta também com a capsula de nitrogênio em seu interior, o que a torna muito cremosa ao ser aberta. Ela parece um pouco mais chocolatada que a Guinness, apresentado, e não tendo tanto esta sensação de aguada percebida por alguns. É interessante notar que as duas irlandesas ficaram muito próximas, e foi difícil definir a primeira posição.

Logo em seguida veio a Baden Baden Stout, e esta cerveja muito saborosa se destacou e agradou a todos. Sua pontuação mais baixa que a Murphy’s se deu por concordarmos que foge um pouco ao estilo Irish Stout, caindo um pouco mais para o Porter, talvez. De qualquer forma uma cerveja muito bem pontuada, que certamente estará presente em nossas degustações, principalmente com sobremesas. Ao contrário das irlandesas, ela tem o sabor mais longo e o aroma mais pronunciado, o que nos agradou. Faltou um pouco de amargor, sendo ela mais doce que as outras.

Para finalizar tomamos a La Brunette. A cerveja essa que não é ruim, porém comparada às demais ficou bem aquém. A espuma mais escura, marrom, e menos consistente prejudicaram sua aparência. Seu sabor também não é muito equilibrado, tendo uma leve acidez (azeitona?) e não apresentando corpo comparável. Uma cerveja para se experimentar, porém não recomendamos para se beber mais de uma havendo outras opções.

Este estilo nunca foi produzido pela Homini Lúpulo Corporation’s e creio que demorará um tempo para o ser, já que certos membros não apreciaram tanto seu sabor, aroma e final seco. As Porters, de uma maneira geral, nos agradam mais.

Por: Eduardo Sardinha

Biblioteca de livros (1)

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

1 Comentário

  1. Sobre a parte do comentário da guinness ser aguada, é porque as vendidas em latão infelizmente não é a mesma coisa que uma servida diretamente de uma máquina de chopp. O gosto muda completamente, recomendo tomar uma guinness chopp, não de latão.

    att,
    Alan

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.