Degustação

A cerveja e o paladar: como se adaptar a novos gostos?

Paladar cerveja
Escrito por Carlos Lara
SEGUIR NO INSTAGRAMPowered by Rock Convert

A língua humana é capaz de identificar cinco sabores: doce, salgado, amargo, azedo/ácido e umami.

Na raça humana, os receptores de sabores doces e salgados amadurecem antes dos outros. Isto ocorre, provavelmente, para estimular o consumo de alimentos ricos em energia e gordura essenciais nos primeiros anos de vida.

Daí viria a preferência das crianças por alimentos muito doces ou muito salgados. Ainda que demorem um pouco mais, os outros receptores de sabor acabam se desenvolvendo ao longo da infância.

Entretanto, os novos receptores deverão ser mais estimulados do que os dois iniciais, pois as crianças estarão “viciadas” em comidas doces ou salgadas.

Por isso educar um paladar “democrático” exige insistência por parte dos pais, e esses nem sempre têm a cultura alimentar, a paciência ou o tempo necessário para introduzir alimentos “diferentes” na dieta infantil.

Cresci neste ambiente, comi muita “fast-food” na vida, mas meus pais sempre tentaram me fazer experimentar alimentos mais “desafiadores” como saladas variadas ou legumes, como jiló.

No início, houve a tradicional relutância infantil, mas, graças à insistência da família, hoje eu tenho grande amplitude alimentar, e os agradeço por isso.

Ocorre que, em minha geração, nem todos os pais tiveram esta persistência com seus filhos. Muitas crianças de ontem, hoje adultos, não desenvolveram adequadamente os outros tipos de paladar.

Tenho amigos que simplesmente não comem nada amargo, azedo, picante ou ácido. Alguns de meus colegas estão se tornando pais e não conseguirão passar a seus filhos o que é uma alimentação democrática, pelo simples fato de eles mesmos não terem possuído uma.

Corremos o risco de ter uma segunda geração de “paladar infantil” se desenvolvendo.

Como as cervejas se adaptam ao paladar

As grandes indústrias cervejeiras acabaram adaptando-se a esta situação. Algumas cervejas comerciais já alteraram sua fórmula para atender este público.

Atualmente, algumas light lagers populares quase não têm amargor (como se isto fosse algo ruim ou indesejado), elas sempre estão ali para agradar e as vezes se adaptar levemente pela mudança de comportamento dos consumidores.

Quem gosta de cerveja amarga acaba se adaptando ou mudando de rótulo (quando possível).

Um exemplo de adaptação que temos é a Skol, ao longo dos anos foram lançados muitos rótulos que se adaptam ao paladar que a grande massa está acostumada.

Alguns dos seus rótulos foram:

  • Skol Lemon
  • Skol 360º
  • Skol Ultra
  • Skol Beats
  • Skol Hops

Sou fã de cervejas lupuladas e  quem conhece este estilo sabe que o amargo dessas cervejas é rico em sabores e aromas. De acordo com a variedade e do momento em que é adicionado à cerveja, o lúpulo muda o resultado final da receita.

Ele pode conferir à bebida características herbais, florais, cítricas até terrosas e quando bem usados, os lúpulos acrescentam muita personalidade às cervejas.

Sou um “pesquisador” informal de cervejas e tenho, sim, minhas preferências, mas quando posso (e o bolso permite), gosto de testar,  buscar novos sabores, novos estilos.

Tenho preferência por cervejas “extremas” (que podem ser muito amargas, muito alcoólicas, muito maltadas e quando encontro algo novo e acho sensacional, sempre levo essa novidade até amigos, cervejeiros ou não.

Mas já houve casos em que eu apresentava uma cerveja “incrível e complexa” em aromas e sabores e esta era quase cuspida pela turma.

Isso aqui não é cerveja!” ou “agora vou ter que beber uma Brahma para equilibrar.”

Tudo bem, é questão de gosto, ou de momento, ou talvez apenas a falta de uma mente mais aberta às possibilidades que esta bebida apresenta.

Mas mostra que muitas pessoas ainda têm uma visão limitada do que pode ser uma cerveja e que o paladar infantil, que é um limitador da criatividade gastronômica,  precisa ser combatido em nome da cultura do bem comer e do bem beber.

E o último desafio quando falamos do paladar é fazer a harmonização das cervejas focando principalmente em sabores básicos, porque o nosso paladar pode ser o grande vilão da história!

Mas calma, para ajudar separamos um artigo onde falamos mais sobre cada uma das características e como elas refletem na cerveja, você pode acessá-lo aqui e aprender tudo sobre o assunto!

Sobre o Autor

Carlos Lara

Marketeiro e Sommelier de Cerveja. Criei a minha paixão pela cerveja há um tempo, principalmente vendo jogos de futebol e hoje escrevo conteúdos sobre diversos assuntos nas horas vagas.

4 Comentários

Comentar