Texto escrito por Wagner, que tem 23 anos, é redator e boêmio por natureza. Adora falar sobre cultura, tecnologia e entretenimento, sempre com uma boa cerveja ao seu lado.

 

Nós, amantes dessa bebida maravilhosa, sabemos que que um consumo controlado de cerveja não possui nenhum mal. Mas, é muito comum ver pessoas falando em mitos sobre a bebida e muitas pessoas acreditam. Para esclarecer as informações, separei alguns mitos e verdades reais sobre a cerveja.

 

Mitos

 

1. Colocar a cerveja deitada para gelar mais rápido

Na Hopus, tradicionalmente a cerveja é servida em um copo e o resíduo do fundo em outro, menor

Na Hopus, tradicionalmente a cerveja é servida em um copo e o resíduo do fundo em outro, menor.

Mito! Os vinhos, sim, são armazenados deitados. Cervejas devem ser armazenadas em pé. Já mostramos aqui no Homini lúpulo qual a maneira mais eficaz para gelar sua cerveja. Em geral, Eela deve ser resfriada gradualmente, e só pode ser levada ao congelador momentos antes de servir. Para não congelar e manter o sabor, não deixe mais que 20 minutos. Além disto, os principais fatores de manter a cerveja em pé, tanto na geladeira quando no armário, é para manter os sedimentos no fundo (exemplo da diferença na foto) e diminuir a oxidação. Com ela deitada a superfície de contato aumenta, aumentando assim o contato do líquido com o oxigênio que pode estar dentro da garrafa.

 

2. Cerveja tem que ser servida muito gelada

Adeus, papilas gustativas.

Caneca zero graus: adeus, papilas gustativas.

Mito! Por mais que algumas pessoas gostem de tomar ela “estupidamente” gelada, quando servida em baixíssima temperatura, a cerveja acaba anestesiando e prejudicando as papilas gustativas da língua, e isso diminui a sensibilidade para degustar a bebida. O calor pede cervejas geladas, sim, mas sem exageros. Geralmente, quanto mais intensa e alcoólica a cerveja menos fria devemos beber, justamente para poder perceber seus sabores e aromas. Outra dica é que, também em linhas gerais, as ales devem ser consumidas em temperatura mais alta que as lagers.

 

3. O tipo de copo não influencia no sabor da cerveja

fonte: http://www.sofisticado.com.br

fonte: http://www.sofisticado.com.br

Mito! O desenho do copo vai alterar a retenção e formação de espuma, desprendimento dos aromas, manutenção da temperatura. Diferentes sabores e aromas são ressaltados em diferentes tipos de copo, por incrível que pareça. Mas, claro, você não precisa deixar de beber uma cerveja por não possuir o copo correto. Veja aqui umas dicas de copos tradicionais para cada estilo. O copo, também, se torna uma tradição relacionada ao prazer de degustar e ao conhecimento da cultura cervejeira.

 

Verdades

 

1. Cerveja faz bem à saúde

Verdade! Estudos publicados em importantes jornais de medicina, comprovaram que o consumo moderado (veja bem, moderado, ou seja, em pequenas quantidades) de cerveja pode trazer uma série de benefícios à saúde. A bebida é rica em vitaminas do complexo B e antioxidantes, que protegem de doenças cardiovasculares, osteoporose e câncer.

 

2. Lager é o tipo de cerveja mais consumida no mundo

 

O que é pilsen e o que é light/standard lager, as cervejas de massa?

O que é pilsen e o que é light/standard lager, as cervejas de massa?

Verdade! Conhecida aqui no Brasil como “cerveja premium” ou confundida com pilsen – vejam o gráfico acima -, a lager tem baixa fermentação o que gera uma cerveja mais neutra em termos de sabor e aroma. A maioria das Lagers, em termos de volume de produção, são claras, com alto teor de gás carbônico, tem baixo amargor e corpo, e tem teor alcoólico entre 4 e 5%.

 

3. Cerveja é diurética

Verdade! Em sua composição, a cerveja possui cerca de 90% de água (depende do estilo), logo é um agente diurético natural para o organismo. Um estudo divulgado no American Journal of Epidemiology defende que uma garrafa de cerveja por dia reduz o risco de desenvolver pedra nos rins em até 40%.