Stout, uma cerveja amiga do cervejeiro caseiro, principalmente o iniciante. É leve em termos de densidade, mas tem uma boa dose de amargor e o tostado intenso que tende a mascarar pequenos defeitos.  De acordo com o BJCP, o estilo segue este padrão:

IBUs: 30 – 45
SRM: 25–40
OG – 1036-1050
FG – 1007-1010
ABV – 4-5%

Então, basicamente, temos uma cerveja leve, com pouco corpo, com baixo teor alcoólico, amargor marcante e bem escura.

 

Qual malte escolher?

 

A receita de uma dry stout deve ser bem simples. Primeiro, escolhemos um malte base, usando idealmente o pale ale, mas pode se usar o malte pilsen, também. Esta cerveja não pede utilização de maltes caramelos, portanto, a usar de 5 a 10% de cevada não maltada em flocos é comum para ajudar a dar mais corpo e uma retenção de espuma melhor, que é típica do estilo.

 

Montada esta base, agora é só escolher o grão tostado. É tradicional usar cevada torrada, que vai proporcionar uma sensação seca na cerveja pronta. Em adição, pode se usar malte de cevada tostado, como Carafa III. Ajuste a quantidade para a cor desejada. O padrão é usar algo em torno de 10% da receita de grãos tostados, no total.

 

Qual lúpulo usar?

 

Se você busca apenas amargor, lúpulos como Galena, Magnum, entre outros, podem ser usados sem medo até atingir o IBU desejado. Algum lúpulo de aroma pode ser usado, mas apenas para dar complexidade, pois o estilo não pode um caráter de lúpulo no aroma ou sabor. Caso deseje, escolha lúpulos típicos ingleses, como os da família Goldings, e não use mais do que uma grama por litro no final da fervura.

 

Vamos para a produção?

 

Uma brassagem na faixa de 66 graus por uma hora, após 15 minutos opcionais de repouso protéico a 50 graus (caso use floco de cevada), pode ser apropriada. Caso queira secar ainda mais a cerveja, pode se chegar a 64, ou subir um pouco caso deseje mais corpo.

 

Após clarificar e lavar o bagaço, partimos para a fervura, entre 70 e 90 minutos. O ideal é usar as leveduras típicas inglesas, como S-04, com fermentação na casa dos 17-18 graus buscando máxima atenuação, que deve acontecer entre 5 e 7 dias. A maturação pode ser por 14 dias abaixo dos 5 graus.

 

Para o envase, 6 gramas de açúcar por litro é suficiente, uma vez que ales típicas inglesas não costumam ter carbonatação alta.